Vida

Há mais de dois mil sem-abrigo em Portugal

Números do Instituto de Segurança Social indicam que há cerca de 2200 pessoas, em Portugal, sem casa ou que vivem em centros de alojamento temporário.

O Instituto de Segurança Social revela que há mais de dois mil sem-abrigo em Portugal, contudo esclarece que foram consideradas apenas as pessoas sem casa ou que vivem em centros de alojamento temporário.

Por isso, os números são mais baixos do que o previsto. Lisboa e Porto concentram 90 por cento destes sem-abrigo, mas há outros concelhos.

«Estamos a falar de Coimbra, Braga, Setúbal, Faro. Depois dentro de Lisboa temos as questões de Cascais, Amadora, Almada, Seixal. Basicamente são estes os territórios onde a problemática tem um intensidade maior, obviamente com destaque para Lisboa e Porto», referiu o presidente do Instituto de Segurança Social, Edmundo Martinho.

«84 por cento são homens, 82 por cento são portugueses, 60 por cento das pessoas têm entre os 30 e os 49 anos de idade e 83 por cento destes sem-abrigo estão isoladas», indicou Edmundo Martinho.

São pessoas com baixas qualificações, uma em cada quatro não tem qualquer tipo de rendimento, outros recebem uma pensão ou o Rendimento Social de Inserção e muitos têm problemas de saúde.

«Consumo de drogas e álcool andamos acima dos 50 por cento, depois temos de doença mental e física cerca de 25 por cento destas pessoas», acrescentou.

Para dar uma casa a estes sem abrigo, o projecto Casas primeiro que existe em Lisboa, vai ser alargado ao resto do país a partir de Janeiro.

«A ideia é, a partir da avaliação que estamos a fazer em Lisboa, alargar a outros pontos do país em função das necessidades e das disponibilidades que formos tendo», explicou Edmundo Martinho.

Os sem-abrigo do Porto e Coimbra vão beneficiar do projecto Casas Primeiro e o presidente do Instituto de Segurança Social avisa que é preciso prevenir os riscos provocados pela crise, que podem levar a um aumento do número de pessoas sem-abrigo.