Óbito

Morreu o cantor e actor Angélico Vieira, comunicou o hospital

O cantor e actor Angélico Vieira morreu esta terça-feira em consequência das «graves lesões provocadas pelo acidente de viação de que foi vítima», anunciou fonte hospitalar.

A fonte do Hospital de Santo António, no Porto, onde Angélico se encontrava internado, «o óbito foi declarado após a confirmação do estado de morte cerebral».

O estado de saúde do cantor e actor, de 28 anos, havia piorado nas últimas horas, na sequência do grave acidente de viação que sofreu no sábado.

Na sequência do acidente ocorrido na autoestrada A1, no sentido Porto-Lisboa, junto à saída para Estarreja, Angélico sofreu um traumatismo crânio-encefálico «muito grave».

O jovem, que foi submetido a uma cirurgia naquela unidade hospitalar depois do acidente, esteve ligado a um sistema de suporte de vida, que acabou por ser esta terça-feira à tarde desligado, depois de os médicos terem declarado a sua morte cerebral.

Sandro Milton Angélico Vieira, nascido em Lisboa em 31 de Dezembro de 1982, trabalhava como modelo e estudava gestão de empresas quando, aos 21 anos, foi escolhido para representar o papel de David na série televisiva "Morangos com Açúcar".

Paralelamente, Angélico ganhou notoriedade como vocalista da "boys band" D'Zrt, que, após três anos de sucessos, se desfez.

No dia do acidente, fonte da GNR afirmou que o acidente foi causado pelo rebentamento do pneu esquerdo da frente do automóvel conduzido pelo antigo vocalista dos D'Zrt.

«O carro bateu no separador lateral e o condutor, Angélico, e outros dois ocupantes foram projectados, pelo que, em princípio, não teriam cinto de segurança», afirmou a fonte, acrescentando que a vítima mortal foi atingida por um outro automóvel que seguia atrás.

O único ocupante que não foi projectado era um homem que seguia ao lado do condutor e teve ferimentos ligeiros, referiu o responsável da GNR.

Atrás seguiam outro homem, que foi atropelado mortalmente, e uma mulher, que sofreu ferimentos graves e está internada na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Santo António.

Desde que entrou no hospital, muitos foram os familiares e amigos que se deslocaram ao Santo António.