Música

Augusto Santos Silva apresenta estudo sobre bandas punk

Segundo este ex-ministro da Defesa, os nomes de algumas bandas punk, como os Foragidos da Placenta ou os Renegados de Boliqueime mostram o «lado escatológico e de crítica política» deste movimento.

Os sociólogos Augusto Santos Silva e Paula Guerra apresentam, esta terça-feira, um estudo onde são analisadas perto de 500 bandas de punk rock portuguesas e letras de quase 300 canções.

Em declarações à TSF, o antigo ministro da Defesa confessou que as suas referências musicais continuam a ser as «dos primeiros Rolling Stones, Janis Joplin, Led Zeppelin e os Beatles de Abbey Road» e não as do movimento punk.

Mas, «sendo sociólogo, não me pode passar ao lado o que acontece hoje e, em particular, estas culturas juvenis urbanas que são um dos elementos essenciais das sociedades democráticas contemporâneas».

Para Augusto Santos Silva, os nomes de algumas bandas punk, como os Foragidos da Placenta ou os Renegados de Boliqueime mostram o «lado escatológico e de crítica política» deste movimento.

O antigo governante referiu, contudo, que «nunca me atreveria a utilizar no Parlamento as expressões como aquelas que vários dos grupos punk exprimem».

«Não vejo que um grupo parlamentar ou corrente política possa designar-se a si própria como Cães Danados ou Assassinos do Papa», brincou.