Um mundo a girar à volta do digital

O Convento de São Francisco foi o local escolhido para receber a 1ª Conferência do Fórum Permanente para as Competências Digitais, da Iniciativa Nacional Competências Digitais | Portugal INCoDe.2030.

O mundo digital é um tema de relevância incontornável nos dias que correm. "Portugueses cada vez mais dependentes da Internet", "estamos cada vez mais dependentes do digital", estas são algumas das frases que todos os dias ouvimos. Aqui já não se levanta a questão das gerações, todos nós percebemos a importância de estar constantemente atualizado e que é indispensável ser capaz de conviver com práticas cada vez mais desmaterializadas. Essas práticas têm como habitat natural a Internet, sendo a mediação normalmente feita através de dispositivos eletrónicos. No caso da população ativa, aprendizagem, produtividade e competitividade são igualmente variáveis cada vez mais dependentes do digital, obrigando a uma crescente exigência de competências digitais para o exercício de diferentes profissões.

Mas, afinal, em que consistem as competências digitais?

No âmbito da Iniciativa Portugal INCoDe.2030, o conceito de competências digitais é assumido de forma abrangente e inclui a noção de literacia digital (i.e. da capacidade de aceder aos meios digitais e às TIC, para compreender e avaliar criticamente conteúdos, bem como comunicar eficazmente), assim como de produção de novos conhecimentos através de atividades de investigação, desenvolvendo-se à luz de matérias que abrangem o processamento de informação, a comunicação e interação e o desenvolvimento e a produção de conteúdos digitais. As competências digitais estão também intrinsecamente ligadas à empregabilidade, uma vez que a digitalização do mercado de trabalho exige novas capacidades. Uma população ativa com maiores capacidades gera mais empregos novos, assim como mercados e produtos inovadores, dando origem a atividades económicas mais competitivas e robustas.

O objetivo desta ação visa endereçar o desafio de capacitação em competências digitais à população portuguesa, considerando o desenvolvimento de medidas e ações em torno de cinco eixos:

-Inclusão: assegurar a generalização do acesso equitativo às tecnologias digitais a toda a população, para obtenção de informação, comunicação e interação.

- Educação: assegurar a educação das camadas mais jovens da população através do estímulo e reforço nos domínios da literacia digital e das competências digitais em todos os ciclos de ensino e de aprendizagem ao longo da vida.

- Qualificação: capacitar profissionalmente a população ativa dotando-a dos conhecimentos necessários à integração num mercado de trabalho que depende fortemente de competências digitais.

- Especialização: promover a especialização em tecnologias digitais e aplicações para a qualificação do emprego e a criação de maior valor acrescentado na economia.

- Investigação: garantir as condições para a produção de novos conhecimentos e a participação ativa em redes e programas internacionais de I&D.

Esta iniciativa, que se prolonga até 2030, provando assim a sua importância, envolve as áreas governativas da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Educação; Economia; Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Presidência do Conselho de Ministros e Modernização Administrativa.

  COMENTÁRIOS