Fotografia

Exposição fotográfica mostra sobreviventes do Holocausto

"Gegen das Vergessen" (Contra o Esquecimento) é o projeto de Luigi Toscano que já reúne mais de 200 imagens.

Foi um amontoado de sapatos de criança, há muito tempo sem dono, que mais o impressionou em Auschwitz-Birkenau. Tinha 18 anos quando visitou o campo de concentração pela primeira vez e nem queria acreditar que "seres humanos tinham feito aquilo a outros seres humanos." As imagens não lhe saiam da cabeça e, vários anos mais tarde, Luigi Toscano decidiu ele próprio criar outras imagens com aqueles que por lá tinham passado.

Começou a fotografar sobreviventes do Holocausto há cerca de três anos e já conta mais de 200 rostos. O início foi complicado porque "todas as instituições oficias me diziam que tinham dúvidas sobre o destino que eu iria dar a este projeto e não me abriam as portas. Depois, quando começaram a ver as minhas primeiras fotografias, começaram a confiar e a dar-me contactos de sobreviventes um pouco por todo o mundo."

Já fotografou vítimas em seis países diferentes: Alemanha, Ucrânia, Polónia, Rússia, Israel e Estados Unidos, mas não quer ficar por aqui. O fotógrafo alemão, filho de pais italianos, sublinha que lhe chegam pedidos de todo o mundo, "da Austrália ao Brasil".

O projeto é também uma exposição itinerante que, nesta altura, pode ser vista na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque e em Berlim, junto ao Palácio de Charlottenburg. Na capital alemã são 48 as fotografias expostas até ao dia 14 de abril.