Música

Partituras, letras, anotações. 50 anos de José Mário Branco em arquivo digital

O arquivo José Mário Branco resulta de um trabalho de investigação do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da Universidade Nova de Lisboa. O lançamento acontece no ano em que José Mário Branco celebra meio século de carreira.

São mais de mil documentos, entre partituras, cartas, letras de canções, alinhamentos de espetáculos, fotografias, maquetas, anotações sobre peças de teatro... O arquivo José Mário Branco está a partir desta terça-feira acessível a todos através da Internet: aqui.

O projeto, que começou a ser desenvolvido há mais de três anos, resulta de um trabalho de investigação do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM) da Universidade Nova de Lisboa e é coordenado pelo professor Manuel Pedro Ferreira, diretor executivo do Centro e especialista em História da Música.

Na TSF, o Manuel Pedro Ferreira explica que os documentos agora reunidos online estavam na posse do músico. "José Mário Branco tinha estes materiais na sua marquise, apanhavam muito sol e chuva. Em conversa com ele, tendo manifestado a intenção de fazer alguma coisa para promover e salvaguardar a obra, chegámos à conclusão que era melhor dar um tratamento profissional ao arquivo", conta, "é uma grande generosidade por parte dele".

O coordenador do projeto explica que este é um arquivo profissional, mas também pessoal. "É uma oportunidade única de penetrarmos na oficina do compositor, do cantautor e do produtor", afirma, lembrando as várias facetas de José Mário Branco.

Manuel Pedro Ferreira salienta uma outra particularidade: é um arquivo aberto, em crescimento, que será alimentado com os novos trabalhos do músico, que continua muito ativo.

Para o coordenador deste arquivo, a obra de José Mário Branco deve ser estudada e tratada, "não apenas pela sua repercussão social, mas também pela sua qualidade e relevância artística".

"Há um coisa fantástica nele: um sentido muito especial na relação texto-música, de fazer com a música ou reflita ou faça um contraponto com o texto de forma muito consciente e desafiadora. É um compositor muito inteligente", defende, "uma das coisas que deve ser sublinhada é essa capacidade de colocar pensamento na música e de fazer entrar isso em diálogo com o texto, de modo a criar um resultado com várias camadas de leitura".