Gabigol bisou, Jesus ganhou. Flamengo conquista Libertadores

Flamengo começou a perder, mas em dois minutos, Gabigol marcou dois golos, dando o título à equipa de Jesus. Veja os golos.

Histórico. O Flamengo de Jorge Jesus conquistou este sábado, em Lima, no Peru, a Taça Libertadores frente ao River Plate, um título que fugia desde 1981. O encontro começou de forma amarga para o conjunto do treinador português. O River Plate inaugurou o marcador aos 14 minutos, por intermédio de Borré, que aproveitou os erros da defensiva brasileira.

Foi apenas na segunda parte que o Flamengo conseguiu rematar à baliza da turma de Buenos Aires. A reviravolta estava marcada para o final da partida. Em dois minutos, aos 89 e 90, Gabigol bisou no encontro, dando o título à equipa do Rio de Janeiro.

Foi num ambiente frenético que arrancou o encontro entre Flamengo e River Plate, no Monumental de Lima, no Peru. Com 80 mil adeptos nas bancadas e milhões de pessoas a seguirem o encontro pela televisão, o jogo começou equilibrado a meio campo.

Os jogadores do emblema do Rio de Janeiro, sob o comando de Jorge Jesus, mostravam-se um pouco nervosos nos minutos iniciais, nesta final da Libertadores.

A primeira jogada de perigo para a baliza do River Plate surgiu aos nove minutos, com os brasileiros a conquistarem um livre do lado direito do ataque. Os pupilos de Jesus tentaram uma jogada ensaiada, mas a defensiva argentina antecipou-se e cortou o lance.

Aos 14 minutos, a equipa de Buenos Aires inaugurou o marcador, num lance em que a defensiva do Flamengo fica mal na fotografia. Borré aproveitou um erro para, na marca de penálti, colocar a bola no fundo da baliza brasileira.

O Flamengo demorava a entrar no jogo, mostrando alguma "apatia" com bola. Os jogadores de Jesus não conseguiam sair para o ataque, perante um River Plate perigoso na saída para o contra-ataque.

Os argentinos, habituados aos grandes palcos, não se intimidavam com a importância do encontro e surgiram várias vezes com perigo junto à baliza de Diego Alves. Palacios era um dos mais perigosos em campo. Aos 36 minutos, esteve muito perto de aumentar a vantagem do River no jogo, após um remate de fora da área.

A segunda parte começou de outra forma, com o Flamengo a conseguir o que não tinha conseguido na primeira parte: rematar. Foi Gabigol, que passou pelo Benfica, a aparecer do lado direito do ataque do Flamengo e a conseguir rematar, mas sem perigo para a baliza de Armani.

A equipa de Jesus estava mais "solta", saindo com algum perigo para o ataque, mas faltava definição no último passe.

Aos 57 minutos, eis a melhor oportunidade no jogo do Flamengo. Jogada pela esquerda dos brasileiros, com a bola a cair na área. Gabigol, bem colocado, rematou mas a defensiva da equipa do River sacudiu. Na recarga, Everton rematou para as mãos de Armani.

A partir dos 70 minutos de jogo, o River Plate já não conseguia sair para o ataque face à pressão exercida pela equipa de Jesus, que lançou Diego, ex-FC Porto, para o meio campo ofensivo.

No espaço de dois minutos, a equipa de Jesus conseguiu a reviravolta: Arrascaeta serviu Gabigol, que só precisou de empurrar para o fundo das redes.

Um minuto depois, o ex-jogador do Benfica, ganhou a bola à defensiva do River e fuzilou o guardião Armani, colocando o Flamengo na frente da partida. Delírio nas bancadas.

Onze do River Plate: Armani; Montiel, Martínez, Pinola e Casco; Enzo Pérez, Nacho Fernández, Palacios e De La Cruz; Santos Borré e Suárez.

Onze do Flamengo: Diego Alves, Rafinha, Pablo Mari, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Gerson e Arão; Evérton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique; Gabriel Barbosa.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de