Dois feridos levados para o hospital devido às ondas gigantes da Nazaré

Na Nazaré, Pierre Rollet e J.C. Macias foram socorridos e levados para o hospital. No entanto, os surfistas continuam dentro de água em busca das maiores ondas. Junto ao Forte de São Miguel Arcanjo, centenas de pessoas estão desde cedo a assistir às tentativas dos surfistas, que tentam domar o canhão da Nazaré.

Mais um acidente sem gravidade, mais um surfista no hospital. Até ao momento, há registo de dois feridos devido às grandes ondas e ao mar perigoso da Praia do Norte, na Nazaré. Este sábado, é dia de free surf (em português, surf livre), com ondas gigantes e muito sol.

O especialista em surf Miguel Pedreira contou à TSF que o surfista J.C. Macias caiu mal, foi socorrido e enviado para o hospital.

"Magoou-se numa costela, caiu e foi arrastado durante bastante tempo pelas ondas. Acho que ele ao cair bateu com o peito e fraturou uma costela. Foi por volta da hora de almoço, são acidentes que acontecem. Duas das três meninas que estão dentro de água também foram varridas para fora da água quando caíram. Felizmente não sofreram nada", disse.

A praia do Norte continua animada. Ouvido pela TSF, o presidente da Câmara da Nazaré, Walter Chicharro, assegurou que os meios de socorro estão ativos e deram prova, outra vez, que funcionam em pleno.

"Todos sabemos que é um desporto de risco, todos sabemos também que aqueles que andam por aqui na Praia do Norte são gente muito capacitada e que treina regularmente nestas condições para que tudo corra pelo melhor", explicou.

Durante a manhã, outro surfista teve de ser socorrido. O francês Pierre Rollet, que faz parte da equipa de Maya Gabeira, não ganhou para o susto, ao ser apanhado por uma onda. Rollet foi levado para o hospital por precaução. "Ele sofreu uma contusão na zona superior do tórax, e saiu daqui com grandes dores na zona das costelas e da omoplata", detalhou à TSF Pedro Pisco, do Centro de Alto Rendimento.

O perigo existe, está certamente sempre presente na cabeça dos aventureiros que ao longo do dia vão estar dentro de água e vai continuar ao longo do dia. Mas é esse o ingrediente chave, e que explica o sucesso da fórmula que junta as ondas gigantes a este concelho do centro do país. No meio das contas incertas que tentam antever a dimensão das ondas que se esperam durante o resto do dia, apenas a convicção de Pedro Pisco consegue descrever a realidade de todos os dias no mar da Nazaré. "É um desporto de consequência. E por isso é que atrai tantas pessoas que estão fora deste mundo."

Na Praia do Norte, na Nazaré, o entusiasmo é transversal a surfistas e a todos os que esperam ver mais um grande espetáculo de ondas gigantes. Miguel Pedreira, que está junto ao Forte de São Miguel Arcanjo a vibrar com as tentativas dos surfistas, descreveu à TSF um dia excecional. "Talvez uma das sessões mais fáceis de observar" dos últimos tempos.

O que está a acontecer este sábado não é uma novidade. As sessões de free surf acontecem todos os dias, em vários postos de surf pelo mundo de fora. A diferença está condensada num facto simples, mas que marca toda a diferença: estamos a falar de ondas gigantes. Todas as medidas capazes de salvaguardar a segurança dos surfistas são bem-vindas. É isso que a Câmara Municipal da Nazaré e o Centro de Alto Rendimento de Surf do concelho procuram salvaguardar. Pedro Pisco explicou à TSF qual o sistema que está montado, e que é transversal a todo o concelho durante o período de inverno.

Especialmente no inverno, pelas condições particulares criadas pelo canhão, que já colocou a Nazaré e Portugal no mapa por diversas vezes, os surfistas chegam de todo o mundo. Garret McNamara está dentro de água a tentar a sua sorte.

* Notícia atualizada às 15h38

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de