Crise no Sporting

Jaime Marta Soares exige a demissão de Bruno de Carvalho

Em declarações à TSF, o presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting afirma que "com Bruno de Carvalho não há paz" no clube.

Jaime Marta Soares considera que Bruno de Carvalho já não tem condições para continuar à frente do Sporting. Em entrevista à TSF, o presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting deixa em aberto a possibilidade do próprio presidente avançar com a demissão. Caso contrário, a Assembleia Geral toma as rédeas, "para fazer regressar a paz ao Sporting".

Para o presidente da mesa da Assembleia Geral do clube, "estão esgotadas as hipóteses da manutenção da atual presidência".

"Com Bruno de Carvalho não há paz no Sporting", garante, e isso foi visível no jogo deste domingo, frente ao Paços de Ferreira. "Os sócios deram o sinal. Os sócios disseram aquilo que querem".

"Os clubes ficam, as pessoas passam", lembra Marta Soares, Ainda assim, o presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting lembra que, apesar do legado, "isso não lhes dá o direito de pensarem que o clube é propriedade de alguém, a não ser dos sócios".

Jaime Marta Soares avança ainda que vai marcar uma reunião da mesa da Assembleia Geral do clube esta segunda-feira para decidir o que fazer caso o presidente não se demita.

Em entrevista à TSF, Jaime Marta Soares deixa elogios a Bruno de Carvalho e à sua "gestão exemplar", mas diz não entender a mudança súbita do presidente.

"Não entendemos, porque não conseguimos entender, como é que de um momento para o outro há uma inversão tão grande de práticas e atitudes. Será uma situação de cansaço ou de instabilidade emocional que às vezes acontece ao mais forte dos cidadãos. Na minha opinião, só algo de anormal poderá efetivamente estar na origem" destas atitudes de Bruno de Carvalho.

A polémica estourou depois do jogo com o Atlético de Madrid, na quinta-feira. Numa publicação na rede social Facebook, Bruno de Carvalho lamentou a prestação dos jogadores, que acusou de terem cometido "erros grosseiros". O presidente do clube dizia que "o Sporting demonstrou que tem equipa para fazer mais, mas não o fez".

Horas depois, a resposta dos jogadores. Num comunicado divulgado também nas redes sociais, o plantel do Sporting lamentava a "ausência de apoio daquele que deveria ser o líder" da equipa. "Apontar o dedo para culpabilizar o desempenho dos atletas publicamente, quando a união de um grupo se rege pelo esforço conjunto, seja qual for a situação que estejamos a passar, todos os assuntos resolvem-se dentro do grupo", lê-se no comunicado.