"Uma verdadeira lenda". Grandes da Fórmula 1 choram a morte de Niki Lauda

A Fórmula 1 está de luto com a morte do tricampeão Niki Lauda.

O mundo da Fórmula 1, com a Ferrari à cabeça, reagiu esta terça-feira com tristeza à morte do piloto austríaco Niki Lauda, campeão mundial com a escuderia italiana, em 1975 e 1977, e a McLaren, em 1984.

"Hoje é um dia triste para a Fórmula 1. A grande família da Ferrari soube, com grande tristeza, da morte do seu amigo Niki Lauda", escreve a escuderia na conta oficial no Twitter, acrescentando: "Vais ficar para sempre nos nossos corações e no dos adeptos".

Também a Mclaren expressou tristeza pela morte de Lauda, aos 70 anos, menos de um ano depois de ter sido submetido a um transplante pulmonar.

"Todos na McLaren estão profundamente tristes com a partida do nosso amigo, colega e campeão de Fórmula 1 em 1984. Ele estará sempre nos nossos corações e na nossa história", refere a escuderia britânica, também no Twitter oficial.

Os organizadores do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 reagiram a morte do piloto austríaco, garantindo que "Lauda será imortalizado na história da modalidade" e que "a comunidade do automobilismo está de luto pela morte de uma verdadeira lenda".

O departamento de Fórmula 1 da Mercedes, no qual Lauda trabalhou nos últimos anos, colocou no seu perfil no Twitter uma foto do antigo piloto, com a frase "Niki, 1949-2019".

O grupo Daimler manifestou condolências à família, assinalando: "Estaremos, para sempre, agradecidos pelo impacto incalculável que Niki teve nos desportos motorizados e na Mercedes".

O antigo piloto Alain Prost, tetracampeão mundial, manifestou-se "chocado e triste" com a morte de Niki Lauda, que em 1976 sofreu queimaduras graves na sequência de um acidente ocorrido durante o Grande Prémio da Alemanha.

"Foi um ídolo da minha juventude quando comecei no karting", lembrou Prost, que classificou Niki Lauda de "um campeão, um vencedor e um senhor, que nunca reclamou da sua condição".

O francês lembrou o título conquistado por Lauda em 1984, apenas meio ponto à sua frente - a menor diferença na história da Fórmula 1 - afirmando: "Estou feliz porque ele ganhou e porque eu quase ganhei".

O piloto espanhol Marc Márquez, pentacampeão mundial de Moto GP, usou a sua conta na rede Twitter para homenagear Niki Lauda: "Nunca esquecerei o dia em que nos conhecemos e os teus conselhos. Todo o meu apoio para os familiares e amigos".

Segundo a família, Niki Lauda morreu na segunda-feira na Clínica Universitária de Zurique, na Suíça.

"Nos últimos 10 meses, estivemos sempre ao seu lado. Rimos, chorámos, confiámos, sofremos com ele. Niki perdeu ontem [segunda-feira] as suas forças", referiu a família em comunicado.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de