Crise no Sporting

Rui Patrício rescinde contrato com Sporting

O capitão leonino vai mesmo abandonar os leões. Pedido de rescisão unilateral já deu entrada em Alvalade.

Rui Patrício já formalizou o pedido de rescisão unilateral do contrato que o liga ao Sporting. A TSF sabe também que, até agora, mais nenhum jogador do plantel optou por esta via.

PUB

O advogado do guarda-redes enviou esta manhã o pedido por fax à SAD leonina, confirmou a TSF.

Rui Patrício, que neste momento está ao serviço da seleção nacional, é o primeiro jogador a abandonar o clube, na sequência das agressões sofridas por jogadores e equipa técnica, na Academia do Sporting, em Alcochete, num ataque levado a cabo por adeptos leoninos.

Foram detidas 23 pessoas que aguardam agora julgamento em prisão preventiva.

Rui Patrício, de 30 anos, é o capitão da equipa principal de futebol dos leões. Está no Sporting há 18 anos. Chegou em 2000 para integrar as camadas jovens do clube, sendo que a estreia pela equipa principal aconteceu em 2006.

A transferência falhada que leva à saída

O Sporting recebeu uma proposta de 18 milhões de euros por Rui Patrício, mas para o Wolverhampton, não para o Nápoles, como chegou a ser hipótese.

O valor da transferência era o mesmo, mas com a mudança de clube o Sporting iria pagar mais juros sobre a operação.

Fonte ligada ao Sporting explicou à TSF que quando uma transferência é feita o clube que vende recebe de quem compra de forma faseada, mas junto de uma entidade bancária recebe o valor na totalidade, mediante o pagamento de uma taxa de juro.

Essa taxa é mais baixa ou mais alta consoante a credibilidade dos clubes. Sendo o Nápoles um clube melhor cotado, o Sporting teria de pagar 4% sobre os 18 milhões.

Como o negócio estava acertado com o Wolverhampton, a taxa de juro passaria, nesse caso para os 12%.

A fonte do Sporting, contactada pela TSF, revelou que Bruno de Carvalho exigiu a Jorge Mendes, agente que mediou o negócio, a diferença dos juros. Ou seja, o valor da proposta teria de prever esse valor, o que foi recusado.

A mesma fonte contou que Jorge Mendes pretendia incluir neste negócio a liquidação de uma dívida antiga, relativa a Adrien Silva, dívida que a direção do Sporting não reconhece, remetendo o caso para os tribunais.