Morreu Rui Jordão, ex-jogador do Benfica e do Sporting

O antigo jogador de futebol tinha 67 anos.

O ex-futebolista Rui Jordão morreu, esta sexta-feira, aos 67 anos, confirmou à TSF fonte hospitalar. O antigo jogador, de origem angolana, estava internado no Hospital de Cascais, devido a um problema cardíaco.

Jordão jogou em clubes como o Benfica, o Sporting e o Vitória de Setúbal e foi várias vezes o melhor marcador do campeonato português.

Entre 1972 e 1989, representou a seleção nacional, pela qual fez 43 jogos e marcou 15 golos.

Após a carreira como futebolista, Rui Jordão tornou-se pintor, tendo estudado na Sociedade Nacional de Belas-Artes em Lisboa.

O Sporting já reagiu à morte de Rui Jordão, através de uma publicação nas redes sociais. "É com grande pesar que nos despedimos de um dos nossos. Obrigado Rui Jordão", lê-se numa nota na página de Twitter dos 'leões'.

Toni lembra o "homem bom" que marcou o futebol português

O antigo médio internacional Toni, colega de Rui Jordão no Benfica e na seleção portuguesa, lamentou esta sexta-feira a morte de um "homem bom" e de um jogador que "marcou o futebol português nas décadas de 70 e 80".

"Era um jogador de grande qualidade com quem partilhei no Benfica e na seleção bons momentos. Deixa boas recordações. Como homem, era um homem bom, de valores e princípios. O futebol português perde um dos seus grandes vultos", disse Toni, em declarações à Lusa.

"O Jordão marcou o futebol português nas décadas de 70 e 80. É uma dor imensa que sinto. Eu e todos aqueles que têm paixão pelo futebol, independentemente das cores clubísticas. É uma perda de um jogador fantástico e de um homem bom", referiu o ex-futebolista.

Jordão, natural de Benguela, destacou-se no Benfica, clube no qual iniciou a carreira, em 1971/72, e no Sporting, tendo disputado 43 jogos pela seleção portuguesa e marcado 15 golos, dois dos quais no Europeu de 1984, no qual Portugal foi eliminado nas meias-finais.

"É uma hora de dor. Tinha falado com ele, sabia do seu estado. Sabia que estava muito debilitado, mas pensei que pudesse ultrapassar esta fase complicada que estava a viver", concluiu Toni.

Presidente da FPF lembra "jogador especial" e "legado de resiliência"

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, lamentou também a morte do ex-avançado Rui Jordão, "um jogador especial", que deixou um "legado de resiliência".

Em mensagem publicada na página oficial da FPF na internet, Fernando Gomes diz que "foi com enorme tristeza" que recebeu a notícia da morte do antigo jogador, que faleceu esta sexta-feira, aos 67 anos, no Hospital de Cascais, onde estava internado, em consequência de problemas cardíacos.

"Jordão foi um jogador especial, uma figura ímpar que prestigiou todos os portugueses e nos fez arrancar aplausos e emoções fortes", considerou Fernando Gomes, dizendo que o avançado marcou o futebol luso "de forma indelével".

O presidente da FPF lembrou ainda a importância de Jordão no caminho para o Euro84 e a campanha lusa na fase final do torneio, em França, que "fez vibrar todo o país e foi digna de um verdadeiro campeão".

"À sua elegância e delicadeza em campo, Jordão deixa-nos igualmente um legado de resiliência e grande dignidade na sua vida pessoal", lê-se ainda na mensagem.

Liga de clubes "lamenta profundamente" morte de ex-futebolista

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) lamentou "profundamente" a morte de Rui Jordão. Na nota publicada no site oficial na Internet, o organismo que tutela o futebol profissional em Portugal lembrou a carreira do antigo avançado, que morreu aos 67 anos.

"A Liga Portugal lamenta, profundamente, o desaparecimento de Rui Manuel Trindade Jordão, antigo jogador de Benfica, Vitória [de Setúbal], e 'glória' do Sporting", indica a LPFP.

Benfica lamenta morte de Jordão, um "atleta de eleição"

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, recordou a passagem do antigo internacional português pelo clube da Luz.

"Em meu nome pessoal e do Sport Lisboa e Benfica expresso o mais profundo pesar pelo triste falecimento de Rui Jordão. Atleta de eleição, que vestiu a camisola do Benfica durante cinco épocas, deixa em todos uma enorme saudade", refere Luís Filipe Vieira, em nota publicada no site oficial do clube.

Na mesma mensagem, o responsável máximo dos encarnados endereçou condolências à família do antigo jogador e ao Sporting, clube que Jordão também representou e do qual é um dos maiores símbolos.

Sporting lamenta morte de "um dos maiores nomes da história do clube"

O Sporting também já se expressou quanto à morte de Rui Jordão, ex-avançado que esteve nove épocas em Alvalade, entre 1997 e 1986, classificando o antigo futebolista de "um dos maiores nomes da história do clube".

"É com pesar e muita tristeza que o Sporting Clube de Portugal anuncia o falecimento de um dos maiores nomes da história do clube, Rui Jordão, aos 67 anos de idade", indica uma nota publicada no site oficial dos leões.

"O ex-avançado verde e branco vai ficar na memória de todos os sportinguistas como um atleta de excelência que deixou tudo em campo com o objetivo de engrandecer o nome do Sporting. É um nome incontornável na história do Sporting e do futebol português", considerou o emblema lisboeta.

O antigo jogador, natural de Benguela, destacou-se primeiro no Benfica, clube no qual iniciou a carreira, em 1971/72, e depois no Sporting, tendo disputado 43 jogos pela seleção portuguesa e marcado 15 golos, dois dos quais no Europeu de 1984, no qual Portugal foi eliminado nas meias-finais.

"Foi um dos melhores avançados da história do Sporting, tendo marcado 186 golos em 286 jogos, formando com Manuel Fernandes uma dupla temível e inesquecível para quem os viu jogar semana após semana", recordou o clube de Alvalade.

Sá Pinto lamenta morte do "grande Rui Jordão"

O treinador do Sporting de Braga, Ricardo Sá Pinto, manifestou-se quanto à morte do antigo futebolista internacional português Rui Jordão, "uma referência" para o também ex-jogador.

Antes de qualquer pergunta sobre o jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal, diante do Leça, no sábado, Sá Pinto fez questão de "enviar as condolências à família do grande Rui Jordão", que morreu esta sexta-feira, aos 67 anos.

"[Jordão era] Uma referência para mim, uma pessoa afável e serena, simpática. Encontrávamo-nos esporadicamente, porque ele afastou-se um pouco do futebol, eu gosto imenso de arte e pintura, ele pintava, falávamos um pouco sobre isso e foi com grande tristeza que recebi esta notícia", afirmou.

Sá Pinto enviou ainda "um forte abraço" ao também antigo avançado internacional e atual diretor de scouting do FC Porto, Fernando Gomes, que "atravessa um período difícil de saúde".

"É uma das grandes referências do futebol português e o meu ídolo, desejo uma rápida recuperação", disse.

Notícia atualizada às 12h59

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados