PSP identificou suspeitos do ataque ao carro da família de Sérgio Conceição

Polícia revela em comunicado que os atacantes fugiram do local com recurso a uma viatura.

A PSP do Porto conseguiu "intercetar e identificar" os autores do apedrejamento do carro onde seguia a família do treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, atacado no final do encontro desta terça-feira entre os dragões e o Club Brugge a contar para a Liga dos Campeões.

O ataque ocorreu nas imediações do Estádio do Dragão e, em comunicado, escreve que "no local não foi possível intercetar e identificar os autores do apedrejamento, por os mesmos aparentemente terem abandonado o local, numa viatura".

Mais tarde, informa a PSP, "foi possível identificar os suspeitos do apedrejamento, tendo esse facto sido participado às entidades judiciárias competentes".

O alerta inicial foi dado "por uma cidadã" às 23h17, que alertava que "a sua viatura havia sido apedrejada por desconhecidos" perto da Estação de Metro Sul, "situada a cerca de 200m do local onde se encontravam os polícias".

Em causa está o apedrejamento à viatura em que seguiam a mulher do treinador dos dragões, Liliana Conceição, e dois dos filhos, Rodrigo, de 22 anos, que esteve no banco do jogo com os belgas, e Moisés, de 21, e que provocou o pânico nos ocupantes e alguns vidros partidos.

Na noite deste incidente, a PSP deteve também um homem "por venda de artigos contrafeitos e outro por tráfico de estupefacientes".

O FC Porto repudiou na manhã de quarta-feira o ataque ao carro da família de Sérgio Conceição e lamentou "a falta de proteção das autoridades", apelando para que "o autor ou autores deste ato selvagem" fossem "rapidamente identificados e responsabilizados".

Leia o comunicado na íntegra:

"1. O Comando Metropolitano do Porto da Polícia de Segurança Pública, no passado dia 13, planeou e executou uma operação de segurança relativa ao jogo de futebol a contar para a Liga dos Campeões entre as equipas do F.C. Porto e do Club Brugge;

2. Da operação policial resultaram uma detenção de um homem por venda de artigos contrafeitos e outro por tráfico de estupefacientes;

3. A operação policial foi dada por terminada pelas 23H00, sem registo de desordens dignas de destaque;

4. Apesar de não existirem quaisquer informações ou indícios da possibilidade da ocorrência de qualquer desordem, junto da saída designada por P1, do Estádio do Dragão, foi mantido no local um dispositivo policial reduzido;

5. Pelas 23H17, os elementos policiais no local foram contactados por uma cidadã a dar conta de que nas imediações do Estádio, próximo da Estação de Metro Sul (situada a cerca de 200m do local onde se encontravam os polícias), a sua viatura havia sido apedrejada por desconhecidos;

6. No local não foi possível intercetar e identificar os autores do apedrejamento, por os mesmos aparentemente terem abandonado o local, numa viatura;

7. Após diligências policiais, foi possível identificar os suspeitos do apedrejamento, tendo esse facto sido participado às entidades judiciárias competentes;

8. A Polícia de Segurança Pública apela a todos os cidadãos, especialmente aos que participam e assistem a eventos desportivos, que contribuam para que os mesmos sejam locais de festa e não palcos de desordem."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de