Depois de mim, entra Centeno. A gafe de Dijsselbloem

O atual presidente do Eurogrupo disse que Mário Centeno assumiria a presidência a 13 de janeiro, ainda antes de a votação ter acontecido.

O ainda presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, teve um deslize em que admitiu que o substituto no cargo será o ministro das Finanças, Mário Centeno.

"Sou presidente até dia 12 de janeiro e Mário Centeno [assumirá o cargo] a 13", disse Dijsselbloem aos jornalistas, à entrada para a reunião do Eurogrupo em que será eleito o próximo presidente do fórum dos ministros das Finanças da zona euro.

Percebendo o deslize, Dijsselbloem acrescentou: "Eu disse Mário Centeno? Claro que não sei isso, mas aparentemente está-me na cabeça".

"Por favor não me citem", pediu, numa declaração transmitida em direto.

O fórum de ministros das Finanças da zona euro elege esta segunda-feira, em Bruxelas, o seu novo presidente, com Mário Centeno, o candidato dos Socialistas Europeus, a surgir como favorito numa corrida a quatro à liderança do Eurogrupo.

Os 19 membros da área do euro vão escolher hoje à tarde o sucessor do holandês Jeroen Dijsselbloem, tendo quatro ministros apresentado na semana passada as suas candidaturas: Mário Centeno, o luxemburguês Pierre Gramegna, o eslovaco Peter Kazimir e a letã Dana Reizniece-Ozola.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de