"O Banco de Portugal sabia de tudo"

Antigo presidente da comissão de auditoria da Caixa garante que o supervisor tem desde há muito conhecimento das irregularidades reportadas na auditoria sobre o banco. E a administração também.

Foi em respostas a duas perguntas da deputada Mariana Mortágua que Eduardo Paz Ferreira afirmou taxativamente que o Banco de Portugal não pode alegar desconhecimento sobre as irregularidades detetadas pela auditoria da EY ao banco:

- Há algum facto reportado a auditoria da EY que a comissão de auditoria e o conselho fiscal não tivessem conhecimento?

- Apesar da circunstância de não estarem os nomes dificultar a conferência, não creio, honestamente, que isso aconteça.

- Daquilo que reportou ao Banco de Portugal, há algum facto relatado na auditoria da EY de que o Banco de Portugal não tivesse conhecimento muito antes da realização desta auditoria?

- Acho que o Banco de Portugal sabia de tudo.

Paz Ferreira, ex-presidente do conselho fiscal e da comissão de auditoria da instituição financeira, revelou também que em 2008 enviou ao então presidente da Caixa, Faria de Oliveira, uma carta denunciando muitos dos riscos detetados pela auditoria da EY: "Estes riscos foram por nós identificados no Conselho Fiscal", garantiu, acrescentando que "em 2008 enviei uma carta sobre vários casos, incluindo alguns destes."

Faria de Oliveira "respondeu que estava a tentar repor os níveis de garantia".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de