Partidos estão a "destruir o mercado de arrendamento" com propostas "fanáticas"

Em declarações no Fórum TSF, a Associação Lisbonense de Proprietários condena as novas regras propostas para a habitação.

O presidente da Associação Lisbonense de Proprietários acusa os partidos de estarem a "destruir o mercado de arrendamento" com "propostas radicais".

Em declarações no Fórum TSF, moderado por Manuel Acácio, Luís Menezes Leitão fala num "ataque constante ao proprietários e sem qualquer justificação" que está a incutir o "pânico" entre senhorios e que acaba por não beneficiar os inquilinos.

"Está a ocorrer uma política de terra queimada no arrendamento, com grande fanatismo por parte dos deputados, que têm um ódio ideológico aos senhorios."

Já a secretária de Estado da Habitação assegura que não há motivos para preocupação, quanto às propostas para o setor.

Ana Pinho acredita que nas novas regras relativas ao arrendamento urbano vão entrar em vigor no primeiro dia de 2019, apesar do pedido de adiamento da votação das três propostas em discussão nesse sentido.

Helena Roseta apresentou a demissão do cargo de coordenadora do Grupo parlamentar da Habitação, Reabilitação Urbana e Políticas de Cidades por discordar deste adiamento.

Em declarações esta manhã na TSF, acusou o PS de assobiar para o lado na questão da habitação.

A deputada independente eleita pelo PS lembra que a escassez de habitação é um "problema urgente" e que não se pode "continuar a adiar" soluções. "É generalizado no país: em Lisboa e no Porto tem uma grande expressão, nas cidades universitárias faltam residências para estudantes, no Algarve faltam residências para os trabalhadores,... Falta habitação acessível. Portanto, temos que resolver isto, de uma maneira ou de outra", defendeu.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de