OE2018

Rendas de estudantes entram nas despesas de educação

O governo quer que o arrendamento por parte de estudantes até aos 25 anos conte para as deduções de educação a partir do próximo ano.

As despesas que os estudantes tenham com arrendamento contam agora com benefício fiscal. Vai ser possível deduzir à coleta de IRS até 200 euros por ano - qualquer coisa como 16 euros por mês.

Em causa, estão estudantes até aos 25 anos que se encontrem deslocados da residência permanente do agregado familiar desde que, nos recibos da casa ou do quarto, esteja clara a informação de que o arrendamento se destina a um estudante deslocado.

Este benefício estará sempre sujeito ao limite global de 900 euros.

Atualmente, contam para despesas de educação e formação o pagamento de creches, jardim-de-infância, estabelecimentos de ensino e outros serviços de educação e as despesas com manuais e livros escolares, mas o arrendamento estava até fora desta rubrica.

Por outro lado, os vales-educação deixam de ter benefício fiscal. Estes vales são atribuídos por algumas empresas aos trabalhadores para filhos entre 7 e 25 anos. Passam agora a pagar IRS até aos 1.100 euros, sendo totalmente considerados rendimento do trabalho dependente.

A TSF analisou o Orçamento do Estado para 2018 com a consultora EY.

  COMENTÁRIOS