Noite das facas longas no PSD? "A indústria da cutelaria está em crise"

Já se estão a afiar facas no PSD depois da derrota eleitoral? David Justino diz que "não serão assim tão grandes..."

David Justino considera que "é de uma irresponsabilidade muito grande que quem está na liderança se demita dela e que quem não está na liderança queira liderar" tão perto das legislativas. "Não cabe na cabeça de ninguém."

Questionado na TSF se já se ouve um 'afiar de facas' de eventuais adversários internos de Rui Rio, o social-democrata diz que "a indústria da cutelaria está em crise".

"Pode haver facas mas não serão assim tão grandes..."

Segundo as várias sondagens televisivas o PSD elege entre cinco a sete eurodeputados, com uma votação entre 20%, no pior cenário e 27,1%, no melhor cenário), mas David Justino acredita que ainda não está tudo perdido: há uma "margem de erro" a ter em conta. "O PSD vai subir, não tenho dúvidas."

"Ainda estamos na sopa, o prato principal vem já a seguir", diz o social-democrata.

Com uma taxa de abstenção histórica, "todos perdemos", destaca lamenta. Para David Justino todos os partidos tiveram maus resultados "tirando o Bloco de Esquerda."

"O PCP perde porque fica muito aquém do seu objetivo e a sua esperança, o PSD também perde porque queríamos ganhar estas eleições e não ganhámos, o CDS perde porque queria liderar a oposição e foi remetido para o canto da sala e o PS perde porque dentro das margens de erro está o 'poucochinho' ou o pouco".

Não se pode dizer, no entanto, que o PSD tenha tido "o pior resultado de sempre", defende.

Não será um cartão vermelho aos partidos nacionais, mas pode ser um "cartão rosa".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de