Agora tudo é possível. Dona do Facebook cria ferramenta que transforma texto em vídeo

A Inteligência Artificial acaba de quebrar uma nova barreira. Unicórnios na praia, naves em Marte, gatos a ver televisão, robôs a dançar em Nova Iorque, tudo isto é possível criar com uma frase.

Depois de há uns meses um grupo de investigadores ter lançado a DALL-E, uma ferramenta que a partir de palavras-chave consegue criar imagens estáticas, agora são os cientistas da Meta, a dona do Facebook, que apresentam novidades.

É uma ferramenta que promete ser polémica. Chama-se Make-a-Video e de uma frase simples consegue fabricar imagens animadas.

Dito de outra forma, o utilizador escreve uma ideia, por exemplo: "unicórnios correm na praia" e o resultado é o que se segue. A tecnologia tem o requinte de criar uma imagem em câmera lenta, para o efeito ser mais épico.

A Meta utilizou técnicas de "aprendizagem máquina" para desenvolver a Inteligência Artificial. Um sistema que funciona de forma parecida com a plataforma Dall-E, cujas imagens têm percorrido o mundo.

Ora, o Make-a-Video funciona da mesma forma, mas o resultado, em vez de imagens estáticas, são vídeos animados.

Só a resolução é que ainda deixa a desejar.

Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, explica no blog da Meta que estes vídeos são criados "usando uma mistura de processamento de linguagem natural e redes neuronais que convertem entradas não-visuais em imagens".
É isso que permite transformar a frase: "urso de peluche a pintar um autorretrato" nisto...

No momento em que a Meta fez o anúncio da criação desta nova ferramenta e dos resultados que ela é capaz de obter, a dona do Facebook explicou que vai disponibilizar o sistema a outros cientistas para que o possam desenvolver.
Enquanto isso... "uma nave aterra em Marte".

Basta ver as imagens acima para perceber que não é necessário ter uma imaginação muito fértil, para antever cenários em que esta ferramenta pode vir a ser usada de forma nefasta. Seja para espalhar mentiras, notícias falsas, boatos e por aí fora.

Mais ainda com o passar do tempo, e com a resolução dos vídeos a ficar melhor.

Ora, é para evitar isso, diz a Meta, que a equipa de cientistas que desenvolveu esta ferramenta, decidiu que na fazer de "aprendizagem máquina", não foi utilizada qualquer imagem ou palavra cujo conteúdo ou significado possa ser considerado sensível.

Em cima encontra mais um vídeo com outros exemplos do que esta tecnologia é capaz de fazer. As frases que lhes deram vida são bem fáceis de imaginar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de