Cientista português eleito membro da Organização Europeia de Biologia Molecular

Bruno Silva-Santos é vice-diretor e investigador principal do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM, Portugal).

Bruno Silva-Santos é o único português a integrar este ano a lista de 56 novos membros da Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO). O cientista é professor associado da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e vice-diretor e investigador principal do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM, Portugal).

É no iMM que Bruno Silva-Santos estuda a interação entre o sistema imunitário e tumores malignos; e desenvolve estratégias de imunoterapia contra o cancro "que têm por base um sub-tipo específico de glóbulos brancos - os linfócitos T gama-delta", como se pode ler na nota enviada às redações a dar conta desta eleição.

O cientista português considera esta eleição "uma grande honra por ser feita pela comunidade de cientistas da área das Ciências da Vida mais conceituada da Europa".

"A EMBO tem desempenhado um papel crucial na minha carreira: em 2007 atribuiu-me uma bolsa de instalação que me permitiu montar o meu laboratório em Portugal quando regressei de Londres; depois em 2010 selecionou-me para o seu Programa de Jovens Investigadores que me associou à rede de cientistas mais promissores da Europa; e agora, em 2019, elegeu-me Membro do seu "clube" de cientistas mais reconhecidos pelo seu trabalho. Estou extremamente agradecido por este apoio continuado à minha carreira", lê-se na mesma nota.

Bruno Silva-Santos junta-se ao leque de 19 cientistas em Portugal que integram a EMBO entre os quais Maria do Carmo Fonseca, presidente e diretora executiva do iMM, e Maria M. Mota, diretora do Instituto Gulbenkian de Ciência.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de