"Ser cientista é procurar respostas"

No Dia Nacional dos Cientistas ouvimos o testemunho de dois estudantes que, por estes dias, representam Portugal na Feira Internacional de Ciência e Engenharia, nos Estados Unidos, que é considerada a maior competição mundial para jovens.

Alunos que foram selecionados depois de vencerem a Mostra Nacional de Ciência.

"Ser cientista para nós é não ter que ficar de braços cruzados à espera que outras pessoas encontrem soluções para problemas que nos preocupam". Patrícia Silva tem 18 anos, é aluna da Escola Secundária Dr. Manuel Candeias, em Odemira, e chegou à Feira Internacional de Ciência e Engenharia através de um projeto que junta esferovite e larvas.

"Tinhamos na escola larvas, que na nossa zona são usadas para caçar pássaros. Reparamos que elas consumiam esferovite e após várias pesquisas decidimos ver o que era possível fazer para tratar a esforevite utilizando estas larvas".

São três os jovens portugueses que representam Portugal na que é considerada a maior competição mundial para jovens cientistas. João Pedro Gomes é aluno da Escola Secundária Júlio Dinis, em Ovar. "A ciência é aquilo que permite procurar respostas para situações do dia a dia, para as quais não temos explicação".

O grupo do João venceu o primeiro prémio na Mostra Nacional de Ciência, que serviu de trampolim para a competição nos Estados Unidos. Apresentaram um projeto de produção de bioplástico a partir de materiais do dia a dia.

"Por exemplo borras de café, folhas secas, etc. Elaboramos biolástico a partir do amido de arroz e de cartazes das industrias".

Até sexta-feira estes alunos estão nos Estados Unidos para mostrar o que sabem na feira Internacional de Ciência e Engenharia.

Hoje celebra-se o Dia Nacional dos Cientistas, que tem como objetivo reconhecer a contribuição da comunidade científica para o avanço do conhecimento e para o progresso e o bem-estar da sociedade.
Esta quinta-feira, a entrada no Pavilhão do Conhecimento é gratuita.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de