Nova polémica com privacidade junta Facebook e WhatsApp

Os utilizadores do WhatsApp estão a ser obrigados a aceitarem novos termos na Política de Privacidade do WhatsApp. Alterações polémicas e que já levaram Elon Musk, o CEO da Tesla, a sugerir que se use uma app rival.

Quem usa o WhatsApp tem até dia 8 de fevereiro para aceitar os novos termos. Caso não o faça só tem uma opção: deixar de usar a aplicação de mensagens.

A gerar polémica estão várias alterações e boa parte delas têm a ver como os dados dos utilizadores são processados e depois partilhado com outras aplicações. O Facebook é disso exemplo.

É bom lembrar que o WhatsApp foi comprado pelo pela rede social de Mark Zuckerberg em 2014.

As alterações estão plasmadas na nova "Política de Privacidade do Whatsapp" e vêm alterar aquilo que é partilhado com outras empresas pertencentes ao Grupo Facebook.

O texto refere que o que é passado a outras apps é tudo o que possa "ajudar a operar, fornecer, melhorar, compreender, personalizar, apoiar e publicitar os nossos Serviços e as suas respetivas ofertas". Dito de outra forma: o número de telefone do utilizador, os seus contactos, a sua localização, se está online ou quando é que esteve pela última vez e todas as fotografias do perfil.

Mas não é só. Há muito mais em causa. Tanto que Elon Musk, CEO da Tesla e dono da SpaceX, já escreveu no Twitter que há uma app em que ele confia muito mais do que o WhatsApp. Entenda tudo o que se passa (e conheça alternativas ao WhatsApp) no vídeo acima.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de