Para que o céu não nos caia em cima da cabeça: um guardião do Espaço nos Açores

Centro de Operações Espaciais da Ilha Terceira é inaugurado esta sexta-feira.

Vai ser inaugurado esta sexta-feira, nos Açores, um Centro de Operações Espaciais do consórcio europeu Space Surveillance and Tracking (SST). Chama-se COpE e promete ser, literalmente, um guardião das nossas cabeças.

Este centro funciona 24 horas e usa uma rede de telescópios para vigiar o Espaço, conta à TSF o comandante da Marinha José Freitas, responsável pelo projeto SST em Portugal.

"Tem a ver com a caracterização, análise e seguimento de todos os objetos que se encontram em órbita à volta da Terra", como satélites. É preciso catalogar estes objetos e garantir que se encontraram nas órbitas corretas, explica.

Os operadores de satélites são os principais clientes dos serviços da rede SST. Os riscos de colisão são baixos, mas têm tendência a aumentar, aponta o comandante José Freitas.

"Cada vez mais há mais lançamentos e uma dependência cada vez do Espaço" para muitas atividades, pelo que "é natural que este risco tenha vindo a aumentar no futuro", aponta o responsável.

O Centro de Operações Espaciais dos Açores tem estado em fase de testes, mas já participou no seguimento do foguetão chinês cujos destroços caíram no oceano Índico, no domingo passado.

Embora não seja o a sua missão principal, o COpE também vai manter o lixo espacial debaixo de olho, assim como e corpos celestes que possam representar uma ameaça para a Terra.

O Centro de Operações Espaciais da rede nacional SST será inaugurado esta tarde, no Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira, com presença do Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho e do presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro.

Para já emprega duas pessoas, mas o objetivo é chegar a nove.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de