Portugal junta-se ao grupo de "inovadores fortes" da União Europeia

Portugal foi um dos cinco países que mais progrediu em matéria de inovação nos últimos dois anos.

Portugal registou dos maiores progressos em termos de inovação nos últimos anos, e passou a integrar o grupo de Estados-membros da União Europeia considerados "inovadores fortes", revela o Painel Europeu de Inovação hoje divulgado pela Comissão Europeia.

O relatório anual publicado esta terça-feira mostra que, entre 2012 e 2019, Portugal foi um dos cinco países da UE que mais progrediu em matéria de inovação, destacando-se o 'salto' dado nos últimos dois anos, de 84 pontos para 105 pontos, o que coloca o país pela primeira vez no grupo de "inovadores fortes", depois de ao longo dos últimos anos ter sido considerado um "inovador moderado".

Pelo segundo ano consecutivo, Portugal é mesmo líder numa das áreas contempladas para a elaboração do 'ranking', a "inovação nas pequenas e médias empresas", e integra agora o grupo de sete países considerados "inovadores fortes", o segundo mais elevado da hierarquia, depois dos "líderes em inovação", que são Suécia, Finlândia, Dinamarca, Holanda e Luxemburgo.

O relatório aponta que, em média, o desempenho em termos de inovação na UE aumentou 8,9% desde 2012 -- tendo as maiores subidas sido protagonizadas por Lituânia, Malta, Letónia, Portugal e Grécia -, e, pelo segundo ano consecutivo, suplanta o dos Estados Unidos, permanecendo também à frente de potências como Rússia e China.

Contudo, aponta a Comissão Europeia, a UE tem de fazer mais progressos para se aproximar dos líderes de inovação a nível global, designadamente Coreia do Sul, Austrália e Japão, grupo do qual tem vindo a distanciar-se, enquanto o fosso para os países que se encontram atrás de si tem vindo a ser encurtado, advertindo o relatório que o desempenho da inovação na China "cresceu mais de cinco vezes do que a União Europeia" desde 2012.

"A UE está a liderar a saída da crise da Covid-19, intensificando o seu apoio aos esforços de investigação e reunindo diversos agentes dos ecossistemas de inovação, tanto do setor público como do privado, que podem transformar novas ideias em realidade e melhorar a vida dos cidadãos. A UE pós-covid será mais forte e mais unida do que nunca, tirando partido da sua criatividade e do seu desempenho em matéria de inovação, como o painel de avaliação deste ano salienta", comentou a comissária Mariya Gabriel, que sucedeu a Carlos Moedas como responsável no executivo comunitário pela pasta da Inovação.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de