EUA acusam dois chineses de roubo de dados de empresas norte-americanas

Os hackers violaram os computadores de mais de 45 entidades de 12 estados norte-americanos.

O Departamento de Justiça dos EUA acusou esta quinta-feira dois cidadãos chineses de roubo de dados de empresas norte-americanas, ao serviço do governo de Pequim.

Os procuradores do Departamento de Justiça apresentaram um processo contra Zhu Hua e Zhang Shillong acusando-os de terem pirateado dados de empresas dos EUA, ao serviço de agências de inteligência da China.

Nos últimos meses, os EUA têm acentuado as acusações, junto de organizações internacionais, de que o governo chinês tem promovido ações de roubo de dados e de violação de patentes.

Documentos judiciais apresentados no tribunal federal de Manhattan, Nova Iorque, alegam que os 'hackers' conseguiram violar os computadores de mais de 45 entidades em 12 estados.

As vítimas dos 'hackers' foram empresas de vários ramos, da aviação e do espaço à tecnologia farmacêutica.

Os procuradores alegam que os piratas informáticos conseguiram roubar "centenas de gigabytes" de dados, a partir dos computadores das empresas.

Documentos judiciais dizem que os 'hackers' invadiram servidores informáticos para obter acesso às redes de empresas, a fim de roubar propriedade intelectual e dados de negócios.

A acusação foi hoje anunciada pelo pelo vice-procurador-geral dos EUA, Rod Rosenstein, pelo diretor do FBI, Chris Wray, e por Geoffrey Berman, advogado representante do governo dos Estados Unidos em Manhattan.

Na semana passada, autoridades do Departamento de Justiça, do FBI e do Departamento de Segurança Interna declararam ao Comité Judiciário do Senado que a China tem repetidamente financiado ações de roubo de segredos comerciais e propriedade intelectual de empresas americanas para prejudicar a economia dos EUA e promover seu próprio desenvolvimento.

Essa mesma acusação foi esta semana apresentada pelo governo dos EUA junto da Organização Mundial do Comércio, numa reunião em Genebra.

Os esforços de espionagem chinesa tornaram-se "a ameaça de contraespionagem mais grave que nosso país enfrenta hoje", disse Bill Priestap, diretor assistente da divisão de contrainteligência do FBI, no Senado.

Nos últimos meses, o Departamento de Justiça tem avançado com acusações contra vários elementos de serviços de informação e 'hackers' chineses.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de