brexit

Governo britânico diz que direitos dos imigrantes portugueses estão a salvo

"É impensável que os 400 mil portugueses no Reino Unido possam ser convidados a sair", afirmou o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico manifestou-se confiante numa solução que "proteja os direitos" dos cidadãos europeus no Reino Unido após o "Brexit" e instou a União Europeia a avançar nas negociações sobre a relação económica futura.

"Não consigo imaginar qualquer circunstância em que os 400 mil portugueses [no país] possam ser convidados a sair ou até serem desrespeitados. É impensável!", declarou Boris Johnson.

"É vital para ambos os lados que acertemos nisto, que protejamos os direitos e privilégios [dos cidadãos europeus] e tenho a certeza absoluta que conseguiremos. Essa é uma mensagem que eu tenho para os nossos amigos e parceiros na União Europeia e aqui em Lisboa", afirmou Boris Johnson, que, esta sexta-feira, realiza uma visita oficial a Portugal.

O chefe da diplomacia britânica defendeu que "agora é altura de continuar com essas negociações e prosseguir para a segunda fase, definirmos os direitos dos cidadãos e avançar para discutir a nossa nova parceria económica".

Boris Johnson falava no final de um encontro com o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, tendo como cenário as bandeiras do Reino Unido, de Portugal e da União Europeia.

"Há tanto que podemos fazer juntos", afirmou Johnson.

Também o ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, reafirmou a prioridade da salvaguarda dos direitos dos cidadãos portugueses no Reino Unido.

Santos Silva elogiou a intenção da primeira-ministra britânica, Theresa May, de criar um meio tecnológico "rápido e não burocrático" para os imigrantes residentes no Reino Unido poderem registar-se como tal.