Confinamento leva a aumento exponencial da compra de vinho online

Para os apreciadores de vinho tem sido uma oportunidade para novas experiências e descobertas de referências e produtores.

O período de confinamento que ainda vivemos tem gerado o crescimento exponencial das vendas online. Para os apreciadores de vinho tem sido uma oportunidade para novas experiências e descobertas de referências e produtores.

O setor do vinho não ficou de fora da onda de vendas através da internet e os resultados já alcançados têm constituído, de algum modo, paliativo, ainda que relativo, para a crise gerada pela pandemia Covid-19.

O confinamento ditado pelo estado de emergência fez disparar as vendas online de vinho, atenuando os prejuízos dos produtores que têm as adegas repletas, quando as próximas vindimas não estão longe no horizonte.

As quebras na exportação e o fecho dos restaurantes e bares têm causado mossa no setor que atravessava um bom momento, em grande parte ditado pela notoriedade e presença alcançadas nos mercados externos.

Comprar vinho sem sair de casa foi um imperativo, surgido nos primeiros dias da quarentena causada pela pandemia, e algo que, volvidos alguns dias, se tornou num hábito.

A comodidade de poder receber, sem sair de casa, o vinho escolhido numa plataforma online é fator que justifica plenamente a opção feita e que em pouco tempo se tornou um hábito.

Os resultados, tomando como exemplo a garrafeira online da On Wine Megastores de Bebidas, provam que a adesão tem sido altamente satisfatória, ao ponto de 2020 ser já um ano recorde em termos de vendas para a referida plataforma.

No espaço de um mês - entre meados de março e meados de abril - a faturação registou um crescimento na ordem dos 540 por cento, em comparação com as dez semanas anteriores, ou seja, desde o início de janeiro, e superou o total registado durante todo o ano de 2019.

Lisboa, Porto e Algarve concentram maioria dos compradores

Os clientes, a maioria da Grande Lisboa e do Grande Porto, bem como do Algarve de alguns países da Europa ocidental, gastam, em média 55€ por encomenda, regra geral de nove garrafas, incluindo neste total, pelo menos uma de Vinho do Porto, espumante ou uma bebida espirituosa.

O valor médio de cada garrafa equivale a um valor de 6,20€. De acordo com Manuel Oliveira, diretor comercial da OnWine Megastore de Bebidas, "temos registado muitos novos consumidores no site, a maior parte à procura de novas experiências, misturando regiões, marcas, categorias e até preços".

Muitos consumidores procuram uma nova experiência, referindo aquele responsável que "as pessoas estão disponíveis para aprender mais, para provar novos vinhos e para arriscar em marcas que ainda não conhecem".

Em termos de regiões mais procuradas, os vinhos do Douro estão no topo, surgindo o Alentejo logo a seguir. Ambas as regiões valem 70 por cento do total das vendas, com predominância dos vinhos tintos - 90 por cento do total das compras feitas a partir de uma base de 1500 referências disponíveis.

Para além dos vinhos portugueses e estrangeiros, estão disponíveis destilados e uma seleção de azeites e, de forma gratuita, um serviço de apoio ao cliente em tempo real, através de um chat interativo com múltiplas funções: dar respostas a dúvidas sobre as bebidas à venda; sugerir propostas gastronómicas com receitas elaboradas por chefes empenhados em encontrar as melhores harmonizações e ainda vídeos elaborados por enólogos e produtores com informações úteis sobre cada vinho, igualmente partilhados nas redes sociais.

Uma experiência completa que o comércio online proporciona nestes tempos de confinamento.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de