nacional

Exposição dos finalistas do Prémio Sonae Media Art inaugurada a 23 de novembro

A exposição dos finalistas ao Prémio Sonae Media Art 2017, André Martins, André Sier, Nuno Lacerda, Rodrigo Gomes e Sofia Caetano, vai ser inaugurada no Museu do Chiado, em Lisboa, a 23 de novembro, anunciou hoje a organização.

De acordo com o Museu Nacional de Arte Contemporânea -- Museu do Chiado, que organiza o galardão em parceria com a Sonae, os cinco finalistas selecionados pelo júri nesta segunda edição vão disputar o galardão, no valor de 40 mil euros.

A mostra dos finalistas ficará patente até 01 de abril de 2018.

Nesta segunda edição, de um universo inicial de 147 candidaturas recebidas, foram validadas 123 e escolhidos os cinco finalistas, cujo anúncio foi feito em fevereiro deste ano.

Criado em 2015 para distinguir e divulgar criações artísticas na área de 'media art', o prémio envolve também uma bolsa de criação individual de 5.000 euros, destinada a apresentar obras inéditas, que vão ser agora expostas no Museu do Chiado.

André Martins, nascido em 1994, vive e trabalha em Lisboa, e está a concluir a licenciatura em Arte Multimédia na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.

André Sier, nascido em 1977, é artista programador, com formação em ciências e artes, licenciatura em filosofia, e trabalha com vídeo, som, eletrónica, desenho, escultura e videojogos, desde 1997, contando com mais de 25 exposições individuais e 80 participações em exposições coletivas, festivais e eventos artísticos.

Nuno Lacerda, nascido em 1983, vive e trabalha em Lisboa, é licenciado em Artes Plásticas - Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, tem formação em banda desenhada pelo CITEN - Centro de Arte Moderna José Azeredo de Perdigão, Fundação Calouste Gulbenkian, e formação em representação teatral pela Casa de Teatro de Sintra.

Rodrigo Gomes, nascido em 1991, vive e trabalha em Lisboa, frequenta o mestrado de Arte Multimédia na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, e é licenciado em Escultura pela Universidade de Évora (2012-2015), e pós-graduado em Arte Sonora pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2015-2016).

Sofia Caetano, nascida em 1987, é açoriana, e vive e leciona em Boston, nos EUA. Licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, tendo estudado também Media Art no Emerson College.

Os trabalhos candidatos foram avaliados por um júri de seleção composto por Adelaide Ginga, historiadora de arte e curadora do Museu do Chiado, António Sousa Dias, compositor, investigador e professor associado na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, e Teresa Cruz, investigadora do Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens e professora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O Prémio Sonae Media Art dirige-se às formas de criação artística contemporânea que utilizem meios digitais e eletrónicos, nas áreas de 'vídeo arte', projetos sonoros, projetos de exploração do virtual e da interatividade, bem como propostas de 'network' (rede), em que poderão estar incorporadas outras formas de arte como a 'performance', a dança, o cinema, o teatro ou a literatura.

O vencedor do Prémio Sonae Media Art será escolhido entre os cinco finalistas por um júri constituído por Filipa Oliveira, curadora e atual diretora artística do Fórum Eugénio de Almeida, em Évora, Nuno Crespo, investigador e professor auxiliar convidado no Departamento de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, e por Ramus Vestergaard, investigador, diretor e curador chefe do DIAS -- Digital Interactive Art Space, galeria dinamarquesa centrada especificamente em 'media art' e arte digital.

Na primeira edição, em 2015, a vencedora foi a artista Tatiana Macedo, com a obra "1989".