Internacional

Morreu Desiderio Navarro,de 69 anos, editor e diretor da revista Criterios, de Cuba

O intelectual cubano Desiderio Navarro, editor e diretor, durante mais de 30 anos da revista Critérios, e do centro cultural homónimo, morreu quinta-feira em Havana, aos 69 anos, noticiou a imprensa local.

Desiderio Navarro, que recentemente recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Cubana das Artes, morreu depois de "uma longa batalha contra o cancro", noticia a Efe, que cita a imprensa cubana.

"Uma perda para a cultura e para a vida intelectual cubanas, realmente grande", afirma o jornal Juventud Rebelde no obituário dedicado ao pensador.

Navarro foi um dos primeiros intelectuais a levantar a voz em 2007, durante a controvérsia sobre o chamado "Quinquenio Gris" na cultura cubana, que entre 1971 e 1976 censurou e marginalizou centenas de pensadores e artistas cubanos.

Como promotor ativo de colóquios e eventos teóricos, Navarro, nascido em Camagüey, em 1948, foi editor de inúmeras revistas fora de Cuba e o seu trabalho como tradutor abrangeu inúmeras línguas, do inglês ao francês passando pelo checo, croata, eslovaco ou norueguês.

Teórico marxista e anticapitalista, da sua bibliografia consta, entre outros, os títulos "Cultura y Marxismo. Problemas y polémicas" (1986), que lhe valeu o Prémio da Crítica, "Ejercicios del criterio" (1989), "Las causas de las cosas" (2007) e "A pe(n)sar de todo, para ler en contexto" (2008).

O funeral de Desiderio Navarro realiza-se hoje em Cuba.