Beluga retirada do rio Sena após operação de seis horas teve de ser abatida

Beluga morreu antes de ser devolvida ao mar, mas o estado de saúde deteriorou-se após passar várias horas sem comer.

A beluga que foi, esta quarta-feira, retirada da água após estar perdida o rio Sena, a 70 quilómetros de Paris, acabou por ser abatida e morreu sem ser transportada de novo para o oceano.

De acordo com a BBC, citando as autoridades locais, o animal foi transportado numa carrinha refrigeradora após os socorristas passarem cerca de seis horas a retirar a baleia do rio. O próximo passo era devolvê-la ao seu habitat natural, no mar, mas o estado de saúde deteriorou-se após passar várias horas sem comer.

"É com o coração partido que anunciamos que a baleia beluga não sobreviveu", escreveu o grupo de conservação Sea Shepherd France no Twitter, esta quarta-feira. "Estamos devastados por este final trágico que sabíamos que ia ser muito provável", acrescentaram.

A baleia beluga, de quatro metros de comprimento e cerca de 800 quilos, cujo estado de saúde foi considerado "alarmante", estava presa junto à comporta de Saint-Pierre-la-Garenne, a noroeste de Paris.

A operação contou com a participação de vinte e quatro mergulhadores da Polícia Militarizada francesa (Gendarmerie) e bombeiros.

A presença excecional deste mamífero marinho no Sena, a cerca de 130 quilómetros da foz do rio no mar da Mancha, despertou grande interesse, para além das fronteiras francesas, registando-se um afluxo de doações de fundações, associações e particulares para tentar ajudar no resgate.

Avistado em 2 de agosto, o cetáceo, que costuma viver em águas frias, terá entrado sozinho nas águas mornas e estagnadas de uma comporta a 70 quilómetros a noroeste de Paris.

Um membro da equipa do Marineland em Antibes, no sul, que chegou ao local na noite de segunda-feira, realçou que a operação de resgate seria "fora do comum". As margens do Sena "não são acessíveis a veículos" naquele local e "tudo deve ser transportado à mão", explicou Isabelle Brasseur.

Em maio, uma orca também ficou em apuros no Sena, com as operações de salvamento a falharem e o animal a morrer à fome.

De acordo com o observatório Pelagis, especialista em mamíferos marinhos, esta é a segunda beluga conhecida em França, depois de um pescador do estuário do Loire, o grande rio do centro do país, ter recolhido uma nas suas redes em 1948.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de