Cerca de 7000 pénis de burro apreendidos pelas autoridades na Nigéria

Comércio de partes do corpo do burro visa satisfazer a procura na China, onde milhões de animais são abatidos todos os anos por uma gelatina (ejiao) premiada na medicina tradicional.

Cerca de 7000 pénis de burro, destinados à exportação para Hong Kong, foram apreendidos no Aeroporto Internacional Murtala Muhammed em Ikeja, no sul de Lagos, na Nigéria, informou esta quinta-feira o Serviço Aduaneiro da Nigéria.

"Após a interceção dos 7000 genitais de burro macho, os importadores declararam falsamente estas partes ilegais da vida selvagem como genitais de vaca macho", disse o controlador aduaneiro Sambo Dangaladima.

"Após um exame adequado, os funcionários de exportação descobriram que eram genitais masculinos de burro. Esta é a primeira vez que apreendemos este tipo de artigo. Não permitiremos que tal comércio ilegal da vida selvagem floresça sob a nossa supervisão", acrescentou Dangaladima aos jornalistas.

A carga, escondida em dezasseis sacos, valia pouco mais de 216 milhões de nairas (cerca de 506.000 euros).

Em junho passado, a Nigéria, que proíbe a exportação desse material, apreendeu mais de 2800 peles de burro que alegadamente eram traficadas ilegalmente para a China para serem utilizadas na medicina tradicional.

O comércio internacional de partes do corpo do burro para satisfazer a procura na China, onde milhões de animais são abatidos todos os anos por uma gelatina (ejiao) premiada na medicina tradicional, pode levar a espécie à extinção, de acordo com avisos de organizações de todo o mundo.

Confrontado com uma escassez de burros no mercado interno devido à sobre-exploração, nos últimos anos o gigante asiático voltou-se para o continente africano.

Vários países africanos, como o Níger, Burkina Faso e Senegal, proibiram a exportação de partes de burros para a China depois de dezenas de milhares de equinos terem sido abatidos pelas suas peles.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de