Céu laranja. Poeira do Saara atinge Península Ibérica e pode chegar ao norte da Europa

Fenómeno pode ter implicações na qualidade do ar e impactos na saúde. O IPMA adianta que as poeiras deverão permanecer em território ibérico pelo menos até quinta-feira.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê que as poeiras oriundas do norte de África se mantenham no território da Península Ibérica até à próxima quinta-feira, dia 17. Além de causarem alterações na cor do céu, estas poeiras podem ter "implicações na qualidade do ar e possíveis impactos na saúde", alerta.

Numa nota emitida esta terça-feira, o IPMA confirma que está a ocorrer, em Portugal continental, o "transporte de poeiras" devido a "um fluxo de sul induzido pela depressão Célia".

"Os efeitos mais visíveis são a alteração da cor do céu visto que as poeiras estão normalmente acima da superfície, embora dependendo da sua concentração possam atingir níveis mais baixos com implicações na qualidade do ar e possíveis impactos na saúde. Também é possível ocorrer a deposição das poeiras através da precipitação, esta situação é mais provável na região Sul nos dias 15 e 16 de março", lê-se na nota publicada pelo IPMA.

A Agência Estatal de Meteorologia de Espanha (AEMET) já tinha informado que a poeira do Saara, que, nos últimos dias, tem atingido a região espanhola de Múrcia, no sudeste do país, deveria espalhar-se pela Península Ibérica e pela zona ocidental do Mediterrâneo e que pode até atingir algumas áreas do norte da Europa.

"A poeira do Saara estende-se pela Península Ibérica e pelo Mediterrâneo ocidental, mas também chega a zonas do norte da Europa. Continuará a deposição seca (ou seja, a poeira cairá na superfície por gravidade) e húmida (na forma de chuvas de lama)", indica a publicação da agência de meteorologia espanhola, na sua página de Twitter.

"A intrusão continuará nos próximos dias e será significativa. Isso levará a neblina, chuvas de lama e pior qualidade do ar", indica a Agência Estatal de Meteorologia de Espanha, numa outra publicação.

O jornal espanhol El País dá conta da "enorme língua de poeira", levada "pelo vento e pela humidade", desde as areias do deserto do Saara, que penetrou na Península Ibérica e nas Ilhas Baleares.

O diário espanhol mostra as imagens do "céu tingido de vermelho", em particular na região de Múrcia, onde a população sente que está "noutro planeta". "Não, não é Marte, é Múrcia", escreve o jornal.

A paisagem deverá mudar depois de as chuvas trazidas pela tempestade Célia, que atualmente está a afetar o arquipélago da Madeira -- tendo já levado ao cancelamento de dezenas de voos -- atingirem as partículas no ar, dando lugar às chamadas "chuvas de lama", adianta o El País.

Notícia atualizada às 12h55

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de