Competitividade na UE. Só Lisboa fica bem na fotografia e o Norte é a pior região portuguesa

Estocolmo é a região mais desenvolvida da Europa.

No Índice de Competitividade Regional, só a Área Metropolitana de Lisboa está ligeiramente acima da média europeia. Todas as outras regiões do país ficam mal na fotografia do Índice da Competitividade Regional. A região Norte é a pior classificada entre as sete portuguesas. Estocolmo é a região mais desenvolvida da Europa.

Pensando num padrão de 100 pontos para a média da UE, o Norte de Portugal não chega aos 65 pontos (64,63), a região centro tem 66,53, a Região Autónoma dos Açores 68,43, ao Alentejo é atribuída a classificação de 71,6, a Região Autónoma da Madeira 72,82, o Algarve 81,15 e, a Área Metropolitana de Lisboa, a região portuguesa mais bem classificada, obtém 101,16; ou seja, ligeiramente acima dos 100 que representam a média europeia (UE).

Mas isso não acontece em todos parâmetros avaliados. A área metropolitana da capital portuguesa é, de acordo com o RCI, melhor que a média das regiões europeias na saúde, infraestruturas, educação básica, eficiência do mercado laboral, dimensão do mercado, sofisticação empresarial e inovação; mas está abaixo da média europeia em fatores como instituições, estabilidade macroeconómica (aqui o valor é igual para todas as regiões do país), educação superior e prontidão tecnológica.

Mais preocupante é o facto de regiões como o Algarve, o Centro e as Regiões Autónomas estarem abaixo da média europeia em todos parâmetros, excetuando os níveis de educação básica.

Especialista na análise deste tipo de dados, Rita Ramalho, Senior Manager do Global Indicators Group do Banco Mundial, ficou surpreendida com alguns dados relativos a Portugal: "a diferença maior é Lisboa face ao resto do país; o que para mim foi um pouco surpreendente, como há algumas diferenças, foi verificar que o Sul (Alentejo e Algarve) e o Norte tivessem diferenças significativas, mas não. A diferença maior é face a Lisboa. Esperava que o Norte tivesse um desempenho melhor". Ou seja, no esforço público pela competitividade das regiões, Lisboa é capital... o resto se não é paisagem mas deveria ser muito melhor: "indica que há necessidade de melhorar o resto de Portugal, o desenvolvimento tem sido mais centralizado em Lisboa. Há necessidade de descentralizar". Aliás, a Comissão Europeia está ciente disso. Na proposta (ainda em discussão) de fundos da União Europeia para o período 2021-2027, os projetos na Área Metropolitana de Lisboa receberão um cofinanciamento de apenas 40%.

A região de Estocolmo, na Suécia, de acordo com o Índice divulgado aqui em Bruxelas na Semana Europeia das regiões, Estocolmo é a mais competitiva da Europa e a governadora Irene Svenonius, apresenta argumentos: "Somos a região mais rápido crescimento em toda a Europa. A região de Estocolmo tem 23% da população da Suécia mas representa um terço do produto interno bruto do país". Dois valores centrais para o sucesso da região da capital sueca são "a saúde pública e os transportes públicos. Se nos perguntarem como é que chegámos a número 1, a resposta mais forte é: transportes públicos. 70% das pessoas que circulam na hora de ponta fazem-no em transportes públicos e estamos a investir fortemente em desenvolver ainda mais os transportes públicos na região".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de