Decapitação de professor perto de Paris sob investigação antiterrorista

Polícia abriu fogo sobre o suspeito do crime. Ministro francês do Interior estava em Marrocos, mas já está de regresso a França.

Um professor foi decapitado, na tarde desta sexta-feira, junto a uma escola em Conflans Sainte-Honorine (Yvelines), perto de Paris, num caso cuja investigação foi entregue à Procuradoria Nacional Antiterrorismo francesa.

O suposto agressor foi gravemente ferido pela polícia, disse o mesmo órgão criminal à AFP. Mais tarde, fonte judiciária não identificada pela agência de notícias francesa informou que o atacante acabou por morrer devido à gravidade dos ferimentos sofridos. O incidente aconteceu por volta das 17h00 locais, perto de uma escola, indicam fontes policiais.

A polícia já confirmou que a vítima mortal era professor num colégio da localidade e que, numa das suas aulas, terá mostrado caricaturas do profeta Maomé, dados que levaram a que a investigação tenha sido entregue ao órgão de investigação antiterrorismo.

O ministro francês do Interior, Gerald Darmanin, que estava numa visita oficial a Marrocos, está a dirigir-se para Paris.

A Procuradoria Nacional Antiterrorismo abriu uma investigação por "assassinato com ligação a atividade terrorista" e "associação criminosa terrorista".

A polícia chegou ao local depois de uma chamada sobre um indivíduo suspeito que vagueava perto da escola. Chegadas ao local, as autoridades francesas encontraram o corpo da vítima mortal e, mais tarde, avistaram o suspeito que se revelou agressivo e empunhava uma arma branca.

Depois de recusar o pedido para baixar a arma, as autoridades abriram fogo sobre o suspeito. O local foi entretanto isolado e, por suspeitas de que o indivíduo em questão estaria a usar um colete com explosivos, foi levada a cabo uma operação de desativação do engenho.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de