Duas mil máscaras cirúrgicas desaparecem de hospital em Marselha

As autoridades francesas estão a tentar apurar o que se passou. O material destinado aos pacientes no bloco operatório estava localizado numa zona de acesso reservado a pessoal de saúde.

Duas mil máscaras cirúrgicas desapareceram de um hospital de Marselha, cidade no sul de França, em plena crise ligada à epidemia de Covid-19, anunciaram esta terça-feira fontes do agrupamento de hospitais da região.

As caixas de máscaras estavam guardadas no bloco central do hospital público de "la Conception" com acesso reservado ao pessoal de saúde autorizado e eram destinadas aos pacientes no bloco operatório, disse fonte da Assistência pública -- Hospitais de Marselha (AP-HM), confirmando uma informação inicialmente dada pelo jornal 'La Provence'.

"A AP-HM já abriu um inquérito interno para encontrar os autores deste roubo" assegurou a direção do hospital.

A AP-HM divulgou uma nota interna para o pessoal hospitalar do bloco "para lembrar que o uso das máscaras está estritamente reservado à prática profissional".

No seguimento deste roubo, foram distribuídas informações pela AP-HM para "proteger os 'stocks' (máscaras, soluções hidroalcoólicas) e para evitar que este tipo de incidentes volte a acontecer".

As autoridades tranquilizaram os utentes, indicando que "o 'stock' restante é suficiente para assegurar a atividade do bloco e que foram emitidas novas ordens para a reposição rápida".

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou esta terça-feira para o "rápido esgotamento" do 'stock' de materiais de proteção para lutar contra o novo coronavírus, uma escassez que põe em perigo a resposta mundial à epidemia.

A agência especializada da ONU estima que, por mês, serão necessárias mundialmente 89 milhões de máscaras, como também 76 milhões de luvas e 1,6 milhões de óculos de proteção.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou hoje que o Estado requisitou "todo o 'stock' e produção de máscaras protetoras" para distribuir pelos profissionais de saúde e pessoas com o novo coronavírus.

Uma quarta morte em França de uma pessoa contaminada pelo Covid-19 foi anunciada hoje pelo Ministério da Saúde, aumentando para 203 o número de casos confirmados.

O surto de Covid-19, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou mais de 3.100 mortos e infetou mais de 90.300 pessoas em cerca de 70 países e territórios, incluindo duas em Portugal.

Das pessoas infetadas, cerca de 48 mil recuperaram, segundo autoridades de saúde de vários países.

Além de 2.943 mortos na China, onde o surto foi detetado em dezembro, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América, San Marino e Filipinas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de