Elefantes morrem após comerem plástico em aterro a céu aberto no Sri Lanka

Nos exames realizados aos elefantes foram detetados polietileno, embalagens de alimentos, plástico e água.

Veterinários e ambientalistas alertam que o lixo plástico num aterro a céu aberto no leste do Sri Lanka está a matar elefantes na região, após terem sido encontrados mais dois animais mortos no fim de semana.

Perto de 20 elefantes morreram nos últimos oito anos após consumirem lixo plástico no aterro da vila de Pallakkadu, no distrito de Ampara, 210 km a Leste da capital, Colombo.

Exames realizados aos animais mortos mostraram que estes engoliram grandes quantidades de plástico não degradável encontrado no depósito de lixo, segundo o veterinário da vida selvagem Nihal Pushpakumara.

"Polietileno, embalagens de alimentos, plástico e água foram as únicas coisas que pudemos ver nas autópsias. A comida normal que os elefantes comem e digerem não era evidente", disse.

O número de elefantes diminuiu de 14 mil no século XIX para seis mil em 2011, segundo o primeiro censo destes animais no país.

Os elefantes estão cada vez mais vulneráveis devido à perda e degradação do seu habitat natural.

Muitos aventuram-se para junto de localidades em busca de comida e alguns são mortos por caçadores furtivos ou agricultores furiosos com os danos nas suas plantações.

"Os elefantes famintos procuram o lixo no aterro, consumindo plástico e objetos pontiagudos que danificam os seus sistemas digestivos", disse Pushpakumara.

Em 2017, o governo anunciou que ia reciclar o lixo perto de zonas de vida selvagem para evitar que os elefantes consumam resíduos plásticos.

O Governo anunciou também que iriam ser colocadas cercas elétricas em redor dos locais para manter os animais afastados, mas nenhuma das medidas foi totalmente implementada.

"Existem 54 aterros em zonas de vida selvagem em todo o país, com cerca de 300 elefantes perto", segundo autoridades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de