Espanha prende espião venezuelano procurado pelos EUA por narcotráfico

Hugo Carvajal foi, durante mais de uma década, os olhos e ouvidos de Hugo Chávez no exército.

A polícia de Madrid deteve num apartamento que lhe servia de esconderijo um espião venezuelano acusado de narcotráfico pelos Estados Unidos, quase dois anos depois de ter desafiado uma ordem de extradição espanhola e de ter desaparecido.

O general Hugo Carvajal, que durante mais de uma década foi os olhos e ouvidos de Hugo Chávez no exército, foi encontrado num pequeno apartamento no qual se encontrava escondido.

"Ele vivia totalmente enclausurado, nunca saindo nem se aproximando da janela, sempre protegido por pessoas em quem confiava", disse a polícia espanhola, numa declaração divulgada nas redes sociais, acompanhada de um curto vídeo do momento em que as autoridades, fortemente armadas, algemaram Carvajal.

O Supremo Tribunal espanhol aprovou em 2019 a extradição de Carvajal para os EUA, onde enfrenta acusações federais por narcotráfico em Nova Iorque e na Florida, por alegados laços com rebeldes colombianos conhecidos por controlarem importantes rotas de tráfico de cocaína.

A decisão seguiu-se a uma anterior, tomada por um magistrado do Supremo Tribunal, que indeferiu o mandado de captura dos EUA por considerar ter motivações políticas.

Entretanto, o antigo espião foi libertado e nunca mais foi ouvido, exceto numa breve declaração feita o ano passado nas redes sociais, onde disse que se tornou clandestino para protestar contra o que via como interferência política no seu caso.

Anteriormente, Carvajal negou qualquer ato ilícito.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de