Europa realiza Cimeira Contra o Racismo para dar "forte sinal" contra a discriminação

Cimeira pretende lançar as bases para uma futura agenda antirracismo da UE.

A Comissão Europeia e a presidência portuguesa da UE organizam esta sexta-feira a primeira Cimeira Europeia Contra o Racismo, reunindo ministros, parlamentares e outros atores políticos e sociais para dar um "forte sinal" da União Europeia contra a discriminação.

A dias do Dia Internacional Contra a Discriminação Racial, que se assinala a 21 de março, a cimeira vai debater o tema na base do novo plano de ação da União Europeia Contra o Racismo 2020-2025, apresentado em setembro e que estabelece uma série de medidas para combater o racismo e a discriminação racial.

Entre as 09h00 e as 13h00 (hora de Bruxelas, menos uma em Lisboa), o evento de alto nível "pretende lançar as bases para uma futura cooperação no desenvolvimento de condições concretas para a implementação da agenda antirracismo da UE".

"Precisamos de falar sobre racismo. E precisamos de agir", disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, no Parlamento Europeu, em junho, três meses antes de apresentar o plano de ação, que estabelece uma série de medidas para combater o racismo e a discriminação racial.

No contexto do ambicioso plano, a Comissão quer "abordar o racismo estrutural", que "perpetua as barreiras colocadas no caminho dos cidadãos unicamente devido à sua origem racial ou étnica", tendo desenvolvido o Quadro Estratégico da UE para a comunidade roma - que pretende combater "a hostilidade em relação aos ciganos" - e estando a preparar a próxima estratégia de luta contra o antissemitismo.

A Cimeira Europeia Contra o Racismo contará com a participação, entre outros, da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, da vice-presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, e da ministra de Estado e da Presidência portuguesa, Mariana Vieira da Silva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de