Femicídio no México. Polícia coloca joelho no pescoço de mulher durante detenção

A autópsia ao corpo de Victoria Salazar revelou que o pescoço da mulher foi partido, quando esta foi brutalmente detida pela polícia mexicana.

Quatro polícias estão a ser acusados, no México, pela morte de uma mulher durante uma detenção, no último sábado à noite.

A vítima mortal, Victoria Salazar, era uma imigrante oriunda de El Salvador e que não estava armada.

O caso de femicídio foi divulgado nas redes sociais, através de vídeos do momento em que um polícia coloca o joelho em cima das costas de Victoria Salazar, enquanto outros três agentes se encontram à sua volta, a observar, sem nada fazerem para o parar.

Pelas imagens, é possível ver que a mulher acaba por perder os sentidos e, depois, o corpo imobilizado, ainda algemado, é colocado nas traseiras de uma carrinha da polícia.

A autópsia ao corpo de Victoria Salazar veio revelar que o pescoço da mulher fora partido.

O cenário é muito idêntico ao observado na cena da morte de George Floyd, nos Estados Unidos da América, no último ano, que levou a uma enorme onde de protestos contra a violência policial e o racismo.

Agora, os quatros agentes da polícia de Tulum, três homens e uma mulher, estão a ser acusados de femicídio na justiça mexicana, por "uso de força excessiva e desproporcional".

"Não haverá impunidade para aqueles que participaram na morte da vítima, e todas as forças da justiça serão chamadas a trazer os responsáveis a julgamento", afirmou o gabinete do procurador-geral estatal.

Victoria Salazar era uma mãe solteira com duas filhas e estava viver no México há alguns anos, ao abrigo de um visto humanitário, tendo imigrado à procura de melhores oportunidades de vida.

O Presidente mexicano, citado pelo jornal The Guardian, já veio descrever o incidente como um "assassinato", afirmando que a mulher foi "brutalmente assassinada".

O mesmo foi afirmado por, Nayib Bukele, Presidente de El Salvador, de onde era originária Victoria Salazar, tendo deixado a garantia de que o Governo do país irá ajudar as duas filhas que a mulher deixa.

O Presidente de El Salvador fez, no entanto, questão de ressalvar que a população mexicana não deve ser responsabilizada pela situação.

"Vejo milhares de mexicanos escandalizados, a exigir justiça pela nossa compatriota. Não nos esqueçamos de que não foi o povo mexicano quem cometeu este crime, foram alguns criminosos na polícia de Tulum", declarou.

Um sentimento sublinhado pelo próprio Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador: "É um acontecimento que nos enche de dor e vergonha".

O assassinato de Victoria Salazar tem levado a protestos no estado mexicano de Quintana Roo, com a população a sair à rua se manifestar contra o femicídio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de