Guterres adverte que seria "catastrófico" se a crise entre Rússia e Ucrânia se intensificasse

"Estou profundamente preocupado com o aumento das tensões e especulações sobre um conflito militar na Europa", assumiu António Guterres, durante o discurso de abertura da Conferência de Segurança de Munique.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, advertiu esta sexta-feira que seria "catastrófico" se a crise entre a Rússia e a Ucrânia se intensificasse, mensagem deixada no discurso de abertura da Conferência de Segurança de Munique, que reúne líderes internacionais.

"Com a concentração de tropas russas em torno da Ucrânia, estou profundamente preocupado com o aumento das tensões e especulações sobre um conflito militar na Europa", disse Guterres, avisando que isso "seria catastrófico".

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) insistiu por isso que "não há alternativa à diplomacia".

Líderes internacionais e diplomatas do mais alto nível estão reunidos em Munique, no sul da Alemanha, de hoje até domingo, para conversações sobre questões de defesa e segurança.

A conferência anual surge no momento de maior tensão entre Moscovo e o Ocidente, que teme que as tropas russas se preparem para invadir a Ucrânia.

As reuniões, em diferentes formatos, levaram a Munique a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, o Secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, os principais chefes de diplomacia da União Europeia, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg e o Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

Os russos, que estão regularmente presentes nesta conferência, este ano não enviaram representantes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de