Índice Mundial de Contentores não para de aumentar

Elevados custos de transporte marítimo são uma consequência da pandemia.

O Índice Mundial de Contentores, que mede os custos do transporte marítimo em contentores, não para de galopar. Na rota Xangai-Roterdão, um contentor grande de 67 metros cúbicos tem um custo de transporte de mais de 11 600 euros. Um aumento de 659% face ao mês de agosto do ano passado.

Estes elevados custos de transporte marítimo são uma consequência da pandemia. Há portos chineses muito movimentados que estão encerrados porque foram detetados estivadores infetados com Covid-19.

Empresas como a Adidas e a Crocs já alertaram para a interrupção do abastecimento no período crucial de vendas que é a época festiva do Natal. As companhias de navegação, por sua vez, preveem que a crise global continue pelo menos até ao fim do primeiro trimestre do próximo ano, uma vez que a reabertura de um porto leva sempre cerca de um mês até regressar à normalidade.

Além da rota Xangai-Roterdão, nas outras rotas os aumentos também são expressivos, na ordem dos 360%.

António Martins, presidente da Associação Portuguesa de Transitários garante que os portugueses também estão a ser afetados. "A nossa situação é igual à situação que neste momento ocorre no mundo inteiro. É má", afirmou, em declarações à TSF.

António Martins considera que os números do Índice Mundial de Contentores são simpáticos. Há aumentos que chegam aos 2000%. O presidente da Associação Portuguesa de Transitários diz que a versão oficial responsabiliza a pandemia pela situação, mas ele tem dúvidas.


Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de