Aviões já estavam no ar. Trump ordenou ataque ao Irão, mas recuou abruptamente

Nenhum míssil foi disparado e o recuo abrupto de Donald Trump impediu aquilo que seria a terceira ação militar de Trump nos países do Médio Oriente, depois de ter atacado a Síria, em 2017 e em 2018.

Estava tudo a postos para a retaliação, mas Trump recuou abruptamente. O Presidente dos Estados Unidos da América aprovou um ataque contra o Irão, para responder ao abate de um drone americano que sobrevoava espaço aéreo iraniano, mas voltou atrás, cancelando a ordem inicial.

A notícia é avançada pelo jornal The New York Times, que explica que já havia navios em posição e aviões no ar para atacar o Irão com mísseis.

Um responsável dos EUA, que não quis ser identificado, disse à agência norte-americana Associated Press que os alvos incluiriam radares e baterias de mísseis iranianos.

Nenhum míssil foi disparado e o recuo abrupto de Donald Trump impediu aquilo que seria a terceira ação militar de Trump nos países do Médio Oriente, depois de ter atacado a Síria, em 2017 e em 2018.

O comandante dos Guardas da Revolução do Irão, o general iraniano Qassem Soleimani, disse esta quinta-feira que o país "não tem qualquer intenção" de entrar em conflito com algum país do mundo mas "está pronto para a guerra".

A declaração do Irão surge depois de o país ter anunciado, esta quinta-feira, o abate de um avião não-tripulado ('drone') norte-americano, em violação do espaço aéreo no sul do país, enviando assim uma "mensagem clara" aos Estados Unidos, segundo o general.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de