Ladrões roubam carros da polícia na própria delegacia

Cortam grades proteção, arrombam viaturas e levam de tudo, até rádios transmissores. Falta policiamento na polícia, queixa-se o delegado do local.

Um furto de automóvel é comum no Brasil - dados apontam para que aconteça um assalto do tipo a cada minuto.

Furto de viaturas propriedade da polícia são mais raros, como é óbvio. Mas acontecem, sobretudo quando os agentes as abandonam de urgência para efetuar uma detenção, iniciar uma perseguição.

O que é praticamente inédito é carros das forças da segurança serem roubados dentro das próprias instalações da polícia.

Aconteceu no final do mês passado, em Taguatinga, arredores de Brasília.

Veículos estacionados no pátio da delegacia da cidade foram arrombados literalmente nas barbas da polícia.

Os assaltantes, com níveis de ousadia incríveis, cortaram as grades de proteção do estacionamento, arrombaram os automóveis e levaram extintores de incêndios, macacos hidráulicos, baterias e até radio comunicadores.

Cortaram ainda os fios que ligavam os refletores instalados no pátio para conseguirem trabalhar mais à vontade no escuro da noite.

A população de mais de 200 mil habitantes de Taguatinga, cidade dormitório ao lado da capital federal do Brasil com altos índices de criminalidade, está preocupada. Afinal, se nem se consegue proteger a si mesma, como a polícia vai proteger os moradores?

Segundo o delegado chefe, Juvenal Oliveira, não foi a primeira vez que o estacionamento foi assaltado. Mas não há nada a fazer, sublinhou, falta vigilância no local.

Em resumo, falta polícia na polícia.

O correspondente da TSF no Brasil, João Almeida Moreira, assina todas as quintas-feiras a crónica Acontece no Brasil

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de