Navio Ever Given já desencalhou e moveu-se 80% na "direção certa" no canal do Suez

Desbloqueio do tráfego naval no canal do Suez pode demorar mais de três dias. Há mais de 300 navios à espera.

O navio Ever Given já desencalhou e começou a mover-se esta madrugada no canal do Suez, no Egito. "A posição do navio foi reorientada 80% na direção certa", anunciou a Autoridade do Canal do Suez, citada pela AFP.

"A popa moveu-se para 102 metros da costa", quando até agora estava a apenas quatro metros, afirmou o diretor da Autoridade do Canal do Suez, Osama Rabie. O processo para o navio voltar a flutuar começou "com sucesso".

Um dos donos do navio, Shoei Kisen, ressalva que o Ever Given ainda não está a flutuar na totalidade, mas será provável assim que chegue a maré alta, nas próximas horas.

"Os esforços serão retomados quando o fluxo de água aumentar novamente, a partir das 11h30 horário local [12h30 em Lisboa], para colocar a embarcação a flutuar completamente, de modo a reposicioná-la no meio do canal", afirma Shoei Kisen à AFP.

Esta é a primeira boa notícia depois das várias tentativas falhadas para rebocar o Ever Given, usando dragas, escavações e rebocadores, durante quase uma semana.

O porta-contentores com 400 metros de comprimento (o equivalente a quatro campos de futebol), e capacidade de carga de 224 mil toneladas, atravessou-se no canal do Suez na noite de terça para quarta-feira, bloqueando a passagem de 10% do comércio mundial e de 25% dos contentores de carga.

Aproveitando a maré alta, este domingo o leme e as hélices foram libertados e navio começou a mover-se ligeiramente. Foram dragados mais de 27 mil metros cúbicos de areia da parte da costa onde estava encalhada a proa do navio, atingindo uma profundidade de 18 metros.

Mais de 300 navios aguardam o desbloqueio do Suez nas duas entradas do canal, tanto no Mar Vermelho quanto no Mediterrâneo, embora alguns - os maiores, com maiores depósitos de combustível - tenham desviado rota para contornar África pelo cabo da Boa Esperança.

Um relatório da seguradora francesa Euler Hermes, filial da alemã Allianz, estima que o encerramento do canal pode custar ao comércio internacional entre seis mil milhões e dez mil milhões de dólares por dia (entre 5.100 milhões e 8.500 milhões de euros).

"Quando o navio estiver a flutuar totalmente, serão precisos cerca de três dias e meio para desimpedir o engarrafamento de navios, afirma o diretor da Autoridade do Canal de Suez.

O Presidente egípcio já assinalou o sucesso da operação numa mensagem no Twitter. "Hoje, os egípcios foram bem-sucedidos no sentido de pôr fim à crise do navio que estava encalhado no Canal do Suez, apesar da enorme complexidade técnica que envolve o processo", escreveu Abdel Fattah al-Sissi.

O chefe de Estado destacou ainda que os "egípcios provaram que ainda estão à altura das tarefas", lembrando que o Canal do Suez "foi escavado pelos avós [dos egípcios] com a força dos próprios corpos".

Notícia atualizada às 12h56

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de