Nova "grande erupção" sentida em vulcão submarino em Tonga

O vulcão submarino entrou em erupção na sexta-feira, provocando um tsunami que afetou o Pacífico, do Japão ao Peru e aos Estados Unidos da América.

Uma nova "grande erupção" foi detetada esta segunda-feira num vulcão em Tonga, no oceano Pacífico, a norte da Nova Zelândia, revelou o Centro Australiano de Observação de Cinzas Vulcânicas.

Segundo este centro de monitorização, a mais recente erupção do vulcão foi registada às 22h10 (hora de Lisboa).

A informação é corroborada pelo Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico, que revelou ter registado "grandes ondas" na região, presumivelmente relacionadas com a atividade do vulcão no Pacífico sul.

O vulcão submarino Hunga-Tonga-Hunga-Ha'apai entrou em erupção na sexta-feira, provocando um tsunami que afetou o Pacífico, do Japão ao Peru e aos Estados Unidos da América.

"O tsunami teve um enorme impacto no litoral norte de Nuku'alofa", a capital de Tonga, mas não há registo de vítimas no arquipélago, afirmou no domingo a primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern.

À BBC, a Federação Internacional de Cruz Vermelha e Crescente Vermelho calcula que pelo menos 80.000 pessoas tenham sido afetadas no arquipélago.

A atmosfera na região está coberta de cinza vulcânica, foram registados cortes de energia e falhas nas comunicações, pelo que a Nova Zelândia anunciou o envio de uma avião para avaliar os estragos.

O impacto da erupção e do tsunami fizeram-se sentir a nível global, com diferentes escalas de intensidade.

De acordo com a agência France-Presse, no Peru, duas mulheres morreram numa praia, por causa de "ondas anormais" provocadas pelo vulcão, a mais de 10.000 quilómetros.

No domingo, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera revelou que o tsunami provocou em Portugal alterações no nível do mar nos Açores, na Madeira e na zona de Peniche.

"Dimensão do tsunami é surpreendente." Geólogo explica que erupção do vulcão em Tonga "não terá efeitos significativos em termos globais"

José Madeira, geólogo da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, explica, em declarações à TSF, o que poderá ter provocado um tsunami inesperado.

"A dimensão do tsunami gerado pela erupção é um pouco surpreendente, porque normalmente estes tsunamis têm um impacto local e não costumam ter capacidade de se propagar até distânicas tão grandes sem uma grande acumulação. Pode ter sido gerado apenas pela onda de choque da grande explosão de sábado, mas pode ter sido também o resultado de um escorregamento parcial de edifício vulcânico. Isso pode ser o que deu origem a esse tsunami, que foi um pouco maior e com capacidade de atravessar o oceano de um modo um pouco inesperado", afirma.

José Madeira afirma que o tsunami e a erupção do vulcão em Tonga não terá grandes efeitos à escala global, apenas na região sul do Pacífico.

"Uma das coisas que este vulcão faz, de vez em quando, é dar origem a tapetes flutuantes que depois vão à deriva pelo mar, arrestados pelas correntes e ventos até, eventualmente, afundarem ou chegarem a uma praia. Evidentemente que nas encostas deste vulcão submarino haverá efeitos sobre a fauna e a flora subaquática", refere, sublinhando que "são efeitos locais, não é nada de significativo em termos globais".

* Notícia atualizada às 09h36

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de