"A pandemia está a acelerar." OMS pede "unidade" ao G20

"A pandemia está a acelerar." OMS pede "unidade" ao G20

© Fabrice Coffrini/AFP

Há mais de 300 mil casos de Covid-19 reportados a nível mundial.

Há mais de 300 mil casos de Covid-19 reportados a nível mundial.

A Organização Mundial de Saúde deixou, esta segunda-feira, um aviso que tem o mundo como alvo: "A pandemia está a acelerar."

Na habitual conferência de imprensa, o diretor-geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus explicou, a partir de Genebra, que a aceleração da Covid-19 é provada pelos números mais recentes.

"Foram necessários 67 dias para que, do primeiro caso, chegássemos aos 100 mil, 11 dias para que chegássemos aos segundos 100 mil e, em apenas quatro dias, chegámos aos terceiros 100 mil", notou Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Feito o aviso, ficou também a mensagem de esperança: "Não estamos reféns das estatísticas. Podemos mudar a trajetória desta pandemia."

Reconhecendo que, mais do que os números, importam as pessoas, o responsável da OMS recorreu a uma metáfora: "Não se ganhar um jogo de futebol só a defender. Também é preciso atacar."

E se ficar em casa em isolamento social é uma estratégia de defesa, testar todos os casos, tratar de todos os infetados e identificar possíveis contactos são todas boas formas de atacar o novo coronavírus.

Na mesma conferência de imprensa, o diretor-geral da OMS pediu que seja dada prioridade à proteção dos profissionais de saúde em todo o mundo, de forma a salvar o máximo de vidas possível.

"Os profissionais de saúde só podem fazer o seu trabalho de forma eficiente quando o podem fazer de forma segura", lembrou Tedros Adhanom Ghebreyesus, sublinhando o aumento de casos de Covid-19 entre os que trabalham na saúde.

A "racionalização e priorização do uso de equipamento pessoal" é, por isso, também uma estratégia essencial para o combate à pandemia.

Por isto, durante esta semana, Tedros Adhanom Ghebreyesus vai reunir-se com os líderes dos países do G20, pedindo-lhes "unidade" e "solidariedade", sublinhando que é a eles que pertence "80% do PIB mundial".

Na mesma conferência de imprensa, a OMS apelou também contra a utilização de medicamentos "não testados" para combate a esta pandemia, que podem levantar "falsas esperanças e fazer mais mal do que bem", causando a rutura nos stocks de medicamentos essenciais para o combate a outras doenças.

O número de casos de Covid-19 a nível mundial já ultrapassou os 300 mil.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de