Operação de resgate em mina da Polónia suspensa depois de novas explosões

As operações foram suspensas porque foram consideradas "demasiado perigosas" para os socorristas.

Os responsáveis da mina polaca onde um acidente registado na quarta-feira provocou cinco mortos e sete desaparecidos anunciaram esta sexta-feira o abandono da operação de resgate, considerada "demasiado perigosa" para os socorristas.

A análise da situação "levou-nos a abandonar a operação de resgate dos sete mineiros" que permanecem no fundo da mina, disse o presidente do grupo JSW, que controla a mina de carvão, Tomasz Cudny.

Segundo os responsáveis do grupo, registaram-se novas explosões durante a madrugada de hoje, o que provocou 10 feridos ligeiros entre os socorristas que tentavam instalar uma nova conduta de ventilação no fundo da mina, a aproximadamente 1.000 metros de profundidade.

De acordo com o chefe dos serviços de resgate, Piotr Buchwald, será preciso primeiro "estabilizar a ventilação da área e depois isolá-la do resto da mina", o que constitui um processo "que demora meses".

Cinco pessoas, incluindo um socorrista, morreram e sete estão desaparecidas após duas explosões de metano, que provocaram também a hospitalização de 20 feridos, incluindo seis com queimaduras graves.

De acordo com a JSW, uma primeira explosão de metano aconteceu pouco depois da meia-noite, numa área onde 42 mineiros estavam a trabalhar, seguida de uma outra um pouco mais tarde, durante as operações de resgate.

A Polónia, que ainda depende do carvão para produzir cerca de 70% de sua energia, tem sofrido vários acidentes em minas nos últimos anos.

Em março de 2021, dois mineiros morreram e outros dois ficaram feridos num acidente na mina Myslowice-Wesola, no sul do país, enquanto em 2018 outros cinco morreram na mina Zofiowka, também detida pelo JSW.

Em 2021, o setor de mineração empregava quase 80.000 pessoas na Polónia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de