Ataque na Ponte de Londres faz dois mortos

Suspeito foi abatido pela polícia e vítima do esfaqueamento não sobreviveu aos ferimentos. Caso está a ser investigado como "incidente terrorista".

A Ponte de Londres foi evacuada e está vedada ao trânsito, cercada pela polícia, na sequência de um esfaqueamento.

Segundo a BBC, pelo menos duas pessoas morreram, o suspeito abatido a tiro pela polícia e uma das vítima do esfaqueamento, que ainda foi transportada para o hospital mas acabou por não sobreviver aos ferimentos.

Em declarações aos jornalistas no local, Neil Basu, comandante da unidade de combate ao terrorismo britânica, diz que o ataque está a ser "considerado um incidente terrorista".

O suspeito, um homem, tinha consigo um colete de explosivos que se revelou falso, revelou a mesma fonte. "Foi atingido a tiro por agentes armados da polícia de Londres e posso confirmar que morreu no local", precisou Neil Basu.

O jornal Times está a avançar que o autor do ataque desta sexta-feira em Londres foi condenado por ofensa relacionada com terrorismo islamita. O homem do ataque saiu há um ano da cadeia tendo ficado, na altura, sujeito a pulseira eletrónica.

O Serviço de Ambulâncias de Londres considerou o incidente como "um caso prioritário", enviando várias equipas para o local.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, diz que está a acompanhar o caso e agradeceu à polícia e aos serviços de emergência pela "resposta imediata".

"Quero agradecer aos serviços de emergência, que avançaram na direção do perigo, e aos civis que mostraram uma coragem extraordinária ao intervirem fisicamente (...) São o melhor do nosso país", disse Boris Johnson à imprensa em Downing Street.

"O que lhes posso garantir é que quem quer que esteja envolvido neste ataque será perseguido e levado perante a justiça", disse ainda o primeiro-ministro, assegurando que a investigação prossegue, apesar de os primeiros dados indicarem que o suspeito agiu sozinho.

O Reino Unido "nunca será aterrorizado ou intimidado por este tipo de ataques", terminou.

A comissária chefe da polícia de Londres, Cressida Cick, acrescentou que ainda estão em curso investigações para determinar as motivações do terrorista e se há outras pessoas envolvidas na ação.

"Vamos trabalhar tão rápido quanto possível para tentarmos compreender quem é este homem, de onde vem e se há mais alguém envolvido", declarou a comissária numa intervenção em frente da sede da Scotland Yard.

A dirigente reafirmou o agradecimento das autoridades aos cidadãos que "ajudaram" a polícia com "extraordinária coragem". Nas imagens dos momentos posteriores ao ataque veem-se pessoas à civil a imobilizar no solo um indivíduo na ponte de Londres, antes dos agentes de segurança abaterem o suspeito.

A comissária da polícia pediu aos cidadãos que disponham de imagens do ataque que contactem as forças de segurança.

Também a Casa Branca já condenou o ataque e manifestou apoio ao aliado britânico. Donald Trump está a acompanhar a situação.

Em 2017 a Ponte de Londres foi palco de um tentado de reivindicado por apoiantes do autoproclamado Estado Islâmico. Oito pessoas morreram e pelo menos 48 ficaram feridas.

Notícia atualizada às 23h00

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de