"Repugnante." O que levou António Costa a irritar-se tanto com a Holanda?

António Costa mostrou-se irritado com as palavras do ministro holandês das Finanças, que sugeriu investigar Espanha e Itália por não terem capacidade de resposta para fazer face à crise provocada pela pandemia.

No final da longa reunião do Conselho Europeu por videoconferência, que durou mais seis horas, o primeiro-ministro português mostrou-se particularmente irritado com as acusações proferidas pelo ministro holandês das Finanças, em relação a Espanha.

Wopke Hoekstra​ afirmou, numa videoconferência com homólogos dos 27, que a Comissão Europeia devia investigar países, como Espanha, que afirmam não ter margem orçamental para lidar com os efeitos da crise provocada pelo novo coronavírus, apesar de a zona euro estar a crescer há sete anos consecutivos, segundo fontes europeias citadas na imprensa europeia.

Ora, questionado sobre isto, António Costa foi bastante agressivo, defendendo que é tempo de solidariedade e cooperação entre os estados-membros.

"Esse é um discurso é repugnante no quadro da União Europeia. A expressão é mesmo esta: repugnante. Ninguém está disponível para voltar a ouvir ministros das finanças como aqueles que já ouvimos em 2008, 2009, 2010 e anos consecutivos", avisou Costa, sublinhando que a pandemia "é um problema conjunto".

"Não foi a Espanha que criou o vírus, o vírus atingiu-nos a todos por igual", dizendo ainda que "é uma absoluta inconsciência a resposta. É uma absoluta mesquinhez que mina completamente a base da União Europeia", disse.

Esta já não é a primeira vez que os governantes holandeses atacam os países do sul da Europa. Costa relembrou a célebre acusação de Jeroen Dijsselbloem, que insinuou que os países, como Portugal e Espanha, gastavam dinheiro em copos e mulheres.

"Era insuportável trabalhar com o senhor Dijsselbloem, mas pelos vistos há países que insistem em ir mudando de nomes, mas mantendo pessoas com o mesmo perfil", concluiu.

A Holanda tem tido uma postura pouco rigorosa em relação ao novo vírus. O país tem perto de 7500 casos confirmados de Covid-19. Mais de 430 pessoas morreram contagiadas.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de