Sacerdote russo condenado a 21 anos de prisão por abuso sexual de menores

O sacerdote recusou-se a reconhecer os crimes e considerou as acusações uma calúnia.

Um sacerdote ortodoxo da região de Orenburg, na Rússia, foi condenado a 21 anos de prisão por crimes de abuso sexual de menores. A sessão de julgamento foi à porta fechada, adiantou a agência TASS.

Nikolai Stremski, de 57 anos, foi considerado responsável por abusar de 11 menores entre 1999 e 2019, ano em que foi detido.

Além de abuso sexual, o homem foi acusado de maltratar algumas das 70 crianças sob a sua custódia.

O agora condenado adotou algumas das crianças e abusou de uma das suas filhas adotivas, referiu a investigação. Contudo, recusou-se a reconhecer os crimes e considerou as acusações uma calúnia.

A Igreja Ortodoxa Russa retirou-o das suas funções clericais, depois das primeiras acusações terem sido conhecidas.

Durante anos, o religioso foi considerado a "cabeça" da família mais numerosa do país, motivo pelo qual recebeu uma distinção governamental.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de